A didática como retrospectiva histórica

A Didática como Retrospectiva Histórica
Síntese


Universidade Federal de Alagoas
Curso de Pedagogia
Disciplina: Didática
Turma: 3º Período


Trabalho apresentado à disciplina de Didática do curso de Pedagogia, para a obtenção de nota referente ao primeiro semestre do ano letivo de 2008.
Maceió – AL, Maio de 2008


INTRODUÇÃO


O presente trabalho traz uma síntese da trajetóriahistórica da Didática, apresentando os principais aspectos da mesma compreendidos no período de 1549 até os dias atuais. Nessa trajetória é importante assinalar dois momentos distintos: o papel da Didática antes de tornar-se disciplina integrante dos cursos de formação de professores de nível superior e o caminho percorrido pela mesma a partir de então. Veremos a importância da disciplina noprocesso de ensino e aprendizagem desde os primórdios, com os pioneiros da educação no Brasil, os Jesuítas; e ainda, as transformações e evoluções ocasionadas no caráter metodológico e na própria concepção de Didática, que vão acontecendo no cenário educacional brasileiro, acompanhando as mudanças e mesmo as redefinições que vão permeando o quadro político, econômico e social no país.
Primórdios daDidática: O período de 1549-1930


Os jesuítas foram os principais educadores durante quase todo período colonial. A educação era voltada para a catequese e instrução dos índios. A instrução era baseada na Ratio Studiorum, cujo ideal era a formação do homem universal, humanista e cristão, e compreendia o estudo privado e aulas expositivistas. Também privilegiava-se a memorização e a repetiçãocomo métodos de estudo, o desafio estimulando a competição, a disputa, que era de tese e os exames orais e escritos que visavam o aproveitamento do aluno. A ação educativa dos jesuítas estava relacionada à formas dogmáticas de pensamento contra o pensamento crítico. A didática era concebida como uma metodologia de ensino que tinha como alicerce o intelecto, o conhecimento e a visão essencialista dohomem.
Com a expulsão dos jesuítas, entra em cena a Reforma Pombalina o que representa um retrocesso na educação, pois, afirmava-se que qualquer pessoa estava apta a ministrar uma aula. Professores leigos começaram a ser admitidos para as “aulas-régias”. O ensino religioso então é suprimido e o Estado passa a assumir a laicidade. Nesse momento surge a concepção de escola pública, laica euniversal.
O professor era tido como o centro do processo de aprendizagem, onde o aluno é um ser receptivo e passivo e a disciplina passa a garantir a atenção, o silêncio e a ordem. A inclusão da didática como disciplina em cursos de formação de professores para o ensino secundário acontece em 1934.

A Didática nos cursos de formação de professores a partir de 1930


Durante o governode 1930, Vargas constitui o MEC e Saúde Pública. Entre os anos de 1931 e 1932 efetivou-se a Reforma Francisco Campos. Organiza-se o regime universitário para o ensino superior e a primeira universidade brasileira, à qual está vinculada a origem da didática como disciplina dos cursos de formação de professores em nível superior. Era então nomeada de “Metodologia do Ensino Secundário” e hoje como“Didática”, nos cursos de licenciatura.
A didática foi instituída como curso e disciplina com duração de um ano, no regime de três em um (após o término do bacharelado, cursava-se didática, que antes era um curso independente).
A concepção de didática, que privilegiava a dimensão técnica do processo de ensino, propiciou a formação de um novo perfil de professor: o técnico.



Períodode 1945-1960: O predomínio das novas idéias e a Didática


O decreto-lei nº 9.053 desobrigava o curso de didática, e o esquema de 3 mais 1 foi extinto. A didática então, perdeu seus qualificativos geral e especial e introduziu-se a prática de ensino sob a forma de estágio supervisionado. A disseminação das novas idéias no âmbito educacional ganha mais força com a ação do Instituto...
tracking img