A crise de 1383/85

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2288 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice

|Introdução……………………………………………………………………….. |2 |
|“A crise de 1383- 85- Um Tempo de Revolução”………………………. |3 |
|A morte de D. Fernando e o problema da sucessão……………………... |4|
|As movimentações populares e os grupos de confronto………………… |6 |
|A resistência à invasão castelhana………………………………………. |8 |
|A consolidação da independência………………………………………. |10|
|Conclusão………………………………………………………………………... |11 |
|Referências bibliográficas……………………………………………………….. |12 |


























Introdução


Durante o período de 1383 a 1385 Portugal encontrava-se emconstante desentendimento com o Reino de Castela. A fome, a peste negra, as batalhas e os tratados marcaram esta fase da Idade Média. Portugal temia perder a sua independência desde a morte de D. Fernando.


Com o presente trabalho pretendo abordar todas estas questões mencionadas anteriormente, fazendo um balanço sobre a crise do século XIV e as suas causas e consequências.Num primeiro momento irei enumerar as causas que levaram à crise, seguido da explicação de alguns problemas que sucederam após a morte de D. Fernando, das batalhas que existiram entre o Reino de Portugal e o Reino de Castela e, por fim, terminarei o meu trabalho referindo a paz que se instalou entre os dois Reinos.


Por fim, farei uma reflexão acerca da elaboração deste trabalho.1. “A crise de 1383- 85- Um Tempo de Revolução”


Durante o século XIV, Portugal viveu um período de epidemias e guerras e ainda devido à instabilidade do clima provocou também maus anos agrícolas, fracas colheitas de cereais e a falta de alimentos, que desencadeou a fome. Consequentemente, os camponeses fugiram para a cidade, reduzindo a mão-de-obra, instaurou-se assim amá alimentação, o que provocou o aparecimento da Peste Negra.


Em consequência desta situação a população diminuiu e a produção económica também, pois havia menos pessoas para trabalhar nas terras, transformando-se num país ainda mais pobre.


Assim, Portugal encontrava-se desorganizado e num período de crise, dando origem ao despovoamento das vilas, campos abandonados,descontentamento dos clérigos e nobres pois a situação dos seus rendimentos baixaram e o povo encontrava-se revoltado pelas difíceis condições de vida que tinham.


Na segunda metade deste século, Portugal foi governado pelo rei D. Fernando e durante este período esteve envolvido em várias guerras com Castela, agravando assim, as condições de vida da população.


Após algumas derrotas comCastela, D. Fernando vê-se obrigado a assinar um acordo de paz (Tratado de Salvaterra de Magos- 1383), que consistia em permitir que a sua única filha, D. Beatriz, herdeira do trono, casa-se com D. João de Castela, rei de Castela.


Depois desta situação e devido à morte do rei D. Fernando viveu-se em Portugal, entre 1383 e 1385, um período de problemas que causaram revolta pela independência,gerando uma crise e mudança no país.


Contudo, como já havia referido esta crise sobreveio de diversas razões, passando pelos diferentes interesses das diversas classes sociais (nobreza, clero e povo); por algumas decisões de monarcas e ainda pela evolução das atividades económicas.





1- A morte de D. Fernando e o problema da sucessão


De forma a consolidar a paz...
tracking img