A construção da identidade apartir conto de machado de assis

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (483 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO
LITERATURA BRASILEIRA FUNDAMENTOS
DOCENTE: PROFESSOR JANILTO ANDRADE
DISCENTE: SEVERINA MARIA DO NASCIMENTO




A Formação da Identidade Nacional atravésda Literatura no conto: “O Caso da Vara”, de Machado de Assis.


Segundo Stuart Hall em seu livro A Identidade Cultural na pós-modernidade, a identidade, seja de um indivíduo ou deuma nação, é baseada em experiências vividas, testemunhas de uma existência que se perpetua através da tradição. O que hoje chamamos nação, nada mais é do que uma invenção de valores e tradições, quesão inseridos e moldados na mente das pessoas, através de um aparato discursivo que ele chama de “narrativa da nação”.
Essa narrativa da nação é contada e recontada nas histórias e nasliteraturas nacionais, na mídia e na cultura popular. Assim, fornecem várias histórias, imagens, cenários, símbolos e rituais nacionais que representam as experiências, as perdas, as vitórias e osdesastres que dão sentido à nação. Isso é chamado de “comunidade imaginada”.

Como parte da “comunidade imaginada”, deduz-se que, todos são integrantes dessa narrativa. Ela dá significado eimportância à breve existência, ligando vidas, com o destino nacional que existe antes e que continuará após a morte. Assim, a identidade é irrevogavelmente uma questão histórica, que envolve discursoe contradições.

No conto O caso da vara, texto levado ao público em 1891, três anos após a abolição do regime escravocrata no Brasil, é relatado o convívio de uma menina de 12anos, negra, que trabalha em uma residência, sem direito de expressar um simples sentimento como sorrir de uma situação, que é normal para os demais. Para ela, havia tempo para terminar seusafazeres, e, o não cumprimento dos mesmos ou o simples atraso significava que a vara seria usada contra ela. Mesmo aquele que frequentava a casa, representado pelo seminarista fugitivo, que se compadecia...
tracking img