A coclaudenice marques da silva veloso -a construção das políticas sociais no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2770 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

















































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 A CONSTRUÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL....................................4

4CONCLUSÃO........................................................................................................ 10

REFERÊNCIAS..........................................................................................................12
INTRODUÇÃO

O objetivo deste portfólio além de reafirmar a compreensão acerca dos conceitos de questão social é analisar de forma crítica a realidade e contextualizar o serviço social resgatando os aspectos históricos da construção das Políticas Sociaisno Brasil, com isso compreender os processos determinantes que incidem na formação das Políticas Sociais.
O texto elaborado trata-se de uma pesquisa bibliográfica que aborda uma reflexão dos pontos mais relevantes do processo de construção das políticas sociais brasileira, elencando os seguintes pontos: o tratamento do Estado junto à intervenção no social e sua relação com seu públicoalvo (Participação na formulação, controle social e efetividade das intervenções); o caminho percorrido até a conquista de direitos - Mobilizações da Sociedade Civil e processo de redemocratização; as direções profissionais do Serviço Social e sua incidência na construção das Políticas Sociais.






a construção das políticas sociais no brasil

As mudanças provocadas pelarevolução científico-tecnológico no século XVIII e XIX, que denominamos Revolução Industrial[1], marcaram profundamente a organização social, alterando-a por completo, criando novas formas de organização e causando modificações culturais duradouras que perduram ainda na atualidade. Esse processo apresenta uma série de traços, que o diferencia claramente do sistema anterior de artesanato e detrabalho doméstico.
Entre os mais importantes, podemos citar: a substituição progressiva do trabalho humano por máquinas; a divisão do trabalho e necessidade de sua coordenação; as mudanças culturais no trabalho; a produção maciça de bens; o surgimento de novas funções (empresários e operários); entre outros.
Se no sistema artesanal se vende os produtos, agora se configuradiferentemente, vende-se ‘capacidade de trabalho’, com a conversão dos fabricantes na única fonte de emprego cria-se uma dependência do trabalhador perante o empresário. Com o empobrecimento das tarefas realizadas pelo operário, acarreta uma piora na qualidade de vida.
A situação dos operários, particularmente das mulheres e crianças, era miserável. A jornada de trabalho era de 14 a16 horas por dia, com tarefas repetitivas, numa atmosfera onde predominava o ruído, a fumaça e um meio ambiente bastante insalubre.
A transição do trabalho manufaturado pelo maquinofaturado desencadeia a generalização do trabalho livre, inicia-se assim a implantação do sistema capitalista e consequentemente surge neste contexto à questão social.
Com o advento darevolução industrial e o surgimento de novos papéis sociais, principalmente o de empresário capitalista e o de operariado. O de empresário capitalista é detentor dos instrumentos de produção: máquinas, equipamentos, local de trabalho, e o operário é portador da força de trabalho, fator essencial para a produção industrial.
A evidência mais marcante com o advento do sistema capitalista é atransformação das relações sociais. Antes se tinha a relação senhor x servo, e com o novo sistema temos o burguês x proletário. Outra característica é o início da produção em larga escala, lembrando que antes as produções eram baseadas na estrutura familiar sem muitos recursos. Priorizava-se o uso e agora a troca, ou seja, a mão de obra pelo salário.
O aparecimento da “questão...
tracking img