A cidade e as serras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2809 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A cidade e as Serras
Eça de Queirós





E.E. Marechal do Ar Eduardo Gomes





























Andressa da Silva Souza, nº02
Bruna Bellaniza dos Santos Oliveira, nº03
Isaac Nunes, nº
Letícia dos Santos Silva, nº 19
Thainá Nascimento Medeiros, nº 32
3ºB
Índice




Eça de Queirós 5

ContextoHistórico 6

Análise do Estilo Literário 6

Análise da obra 7

Enredo 8

Tempo e espaço 9

Foco narrativo 9

Personagens 9

Conclusão 10

Bibliografia 11

Introdução
(Por Bruna Bellaniza)
 
 

Este trabalho tem como principal objetivo a análise da obra “A cidade e as serras” do autor Eçade Queiros, considerando os pontos mais importantes da obra e analisando seus personagens.

"O homem só é superiormente feliz quando é superiormente civilizado" Trecho da obra que demonstra o amor do principal personagem pela cidade, 

A obra aqui relatada demonstra os sentimentos do personagem principal deixando explicito seu amor pela sua cidade. Essa obra era considerada uma trilogiajuntamente com as obras: “A Ilustre casa de Ramires” e “Correspondência de Fradique Mendes”. Foi o último romance do autor, publicado no ano de 1901, um ano após sua morte.

A cidade das serras é um romance da terceira fase de Eça Queirós, iniciada com a ilustre casa de Ramires. Nesta fase encontramos uma espécie de panificação no artista que substitui o pessimismo das obras anteriores poruma visão mais otimista da sua pátria.















Eça de Queirós
(Por Bruna Bellaniza)


José Maria de Eça de Queirós nasceu em 25 de novembro de 1845, em Povoa de Varzim, Portugal. Faleceu em 16 de agosto de 1900, em Paris, França.
Esse é reconhecido como um dos melhores escritores realistas do século XIX, uma referência literária em todo o mundo.Filho do juiz do Supremo Tribunal de Justiça, o Dr. José Maria Teixeira de Queirós e de D. Carolina de Eça, estudou em alguns colégios do Porto e na faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Formou-se em 1866, e exerceu a profissão por algum tempo. Ligou-se por ocasião ao grupo renovador “Escola de Coimbra¹” , responsável pela introdução do Realismo em Portugal.
Seus primeiros trabalhosforam publicados na revista “Gazeta de Portugal”, em forma de folhetão.

Em 1870, publicou a obra Mistério da estrada de Sintra e em 1887, A relíquia.
A sua primeira novela realista foi O crime do Padre Amaro (1875).


Suas principais obras são:


• 'A Morte de Jesus' (1870);
• O Primo Basílio (1878);
• O Mandarim (1880);
• Outro Amável Milagre (1885);• Festa de crianças (1885);
• Os Maias - 2vols. (1888);
• Fraternidade (1890);
• 'As Farpas' (1890/91) por Eça de Queirós e Ramalho Ortigão;
• As Minas de Salomão (trad.) (1891);
• Almanaques (prefácio - 1895);
• Um Gênio que era um Santo (1896);
• A Duse (1898);
• A Correspondência de Fradique Mendes (1900);
• A Ilustre Casa de Ramires (1900);• A Cidade e as Serras (1900);
• Episódios da Vida Romântica, em 2 tomos;
• Eusébio Macário.






¹ ‘Escola de Coimbra’ foi um movimento em que os jovens defensores de novas idéias literárias, artísticas e filosóficas de defrontavam com os velhos românticos, ultrapassados e conservadores.

Contexto Histórico
(Por Andressa Silva e Letícia Santos)


O realismo era o estiloliterário de Queirós.
Após formado em Direito, dedicou-se ao jornalismo, e viajou pelo Oriente. Em 1871 participou das “Conferencias Democráticas do Cassino Lisbonense” – nova etapa da campanha que implantou em Portugal as novas perspectivas culturais do Realismo.
Grande renovador do romance abandonou a linha romântica, e estabeleceu uma visão critica da realidade. Afastou-se do estilo...
tracking img