A autenticidade de i joão 5:7

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1791 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A A U T E N T I C I D A D E D E “I J O Ã O 5:7”

O texto que se segue abaixo é uma síntese da análise de Dabney, publicado pela Sociedade Bíblica Trinitária, sobre a autenticidade de I João 5:7. Este texto foi retirado na íntegra do site do Centro Apologético Cristão de Pesquisas, , acessado no dia 12 de novembro de 2005.

Em I João 5:7-8, o texto apresenta duas tríades detestemunhas: uma no céu; e a outra na terra. Declara a unidade da primeira tríade em um só ser. No texto grego revisado que fundamenta as versões modernas, tudo isto é omitido, e toda a referência a eruditos modernos e que têm implicações doutrinárias parecem minar a doutrina da Trindade, e particularmente a doutrina da Deidade de Cristo. Entre as poucas diversas leituras importantes há umas queatingem esta única doutrina – uma doutrina fortemente debatida entre crentes ortodoxos e hereges logo antes de serem escritos os três mais antigos manuscritos (cópias).

As controvérsias Ariana e Sabeliana ocorreram ardentemente nos Séculos III e V e as cópias ora tidas com elevado valor entre eruditos, foram escritas nos séculos IV e V. A hostilidade desses documentos contra a doutrinatrinitariana incita a mente à conclusão de que tais omissões e alterações não são meramente os erros ocasionais dos copistas, mas a obra dum esforço deliberado. Ao lembrarmos da data do grande contexto trinitariano na Igreja, e ao compará-lo com a data atribuída a esses documentos, a nossa suspeita aumenta consideravelmente. Surge então a dúvida: o partido de Atanásio introduziu testemunhas espúrias notexto a fim de promover a sua doutrina trinitariana; ou será que o partido de Ários apagou testemunhas autênticas das cópias do texto Sagrado a fim de ocultar esta doutrina?

Os alegados códices mais antigos concordam em omitir um número notável de testemunhas da Divindade de Cristo assim como omissões relativas à prática e a fé do Evangelho. Isto aconteceu porque esses documentos antigosrepresentam as opiniões dos copistas que consideravam os Trinitarianos atanasianos como corruptores, ou pode ser comprovado que as omissões foram feitas propositadamente pelos Arianos para apagar as evidências escriturísticas contra o seu caso.

Todos os críticos votam contra a autenticidade de I João 5:7, mas vejamos se a questão é tão clara como acham. Os argumentos em favor de sua autenticidadeconduzem elevado grau de probabilidade, e este texto é um bom exemplo do valor da evidência interna, a qual foi desprezada pelos críticos modernos. Segue o texto completo com as palavras disputadas entre parênteses:

HOTI TREIS EISIN HOI MARTUROUNTES (EN TO OUTANO, HO LOGOS, KAI TO HAGION PNEUMA, KAI HOUTI HOI TREIS HEN EISI. KAI TREIS EISEN HOI MARTUROUNTES EM TE GE) TO PNEUMA, KAI TO HUDOR ,KAI TO HAIMA; KAI HOI TREIS EIS TO HEN EISIN.

A evidência interna contra a omissão é a seguinte:

1.   O artigo, o numeral e o particípio masculino HOI TREIS MARTUROUNTES, são forçados a concordar diretamente com os três neutros, uma dificuldade gramatical grosseira e insuperável. Se as palavras disputadas permanecem, elas concordam com dois masculinos e um substantivo neutro HO PATER, HOLOGOS, KAI TO HAGION PENUMA e, conforma a regra de sintaxe, os masculinos entre um grupo controlam o gênero do neutro ligado a eles. Desta forma a concorrência dos masculinos TREIS MARTUROUNTES no verso 8 concordando com os neutros PNEUMA, HUDOR e HAIMA podem se explicar pela força de atração, bem conhecida na sintaxe grega.

2.   Omitidas as palavras disputadas, o verso 8 segue logo após o 6 efaz uma repetição grosseira, esquisita e aparentemente sem nexo do testemunho do Espírito, duas vezes logo em seguida.

3.   Com a omissão das palavras, as palavras concludentes no final do verso 8 contém uma referência incoerente. As palavras gregas KAI HOI TREIS EIS TO HEN EISIN significam exatamente: “e estes concordam com aquele (já mencionado) Ser”. Esta versão mantém a força do artigo...
tracking img