A atmosfera como fonte de materia prima

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2354 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O mundo segundo a distribuição do PNB per capita

A renda per capita ("por pessoa", "por cabeça") mostra a renda média da população. Normalmente os países desenvolvidos têm PIB e renda per capita maiores que os dos países subdesenvolvidos. As exceções são países com pequena população, mas que possuem alguns bilionários deixando um enorme desvio-padrão de renda e aparentando possuir elevadarenda média como é o caso dos Emirados Árabes Unidos com um PIB per capita de US$ 55.028 (em 2009), o 14o maior do mundo [2] e outros pequenos países árabes.

Os Estados Unidos possuem uma economia gigantesca, a maior do mundo, com um PIB superior a 14 trilhões de dólares, ao passo que alguns países pobres, como a República Democrática do Congo, têm um PIB de apenas 8,5 bilhões de dólares.Entretanto, nem sempre um grande PIB corresponde a uma elevada renda per capita, pois ela não depende apenas das riquezas produzidas, mas também do tamanho da população do país. A China, por exemplo, tem um PIB PPC de mais de onze trilhões de dólares - segundo maior do mundo (FMI-2011). Porém, devido à sua imensa população (1,3 bilhões), a divisão dessa riqueza pelos habitantes resulta numa renda percapita modesta, de nove mil dólares. A Noruega e a Suíça, embora possuam PIBs pequenos, têm as mais elevadas rendas per capita do mundo, em virtude de suas pequenas populações.



A divisão do mundo em norte e sul do ponto de vista da origem geopolítico



 A queda do muro de Berlim em 1989 foi um marco na história mundial, um período de intensas transformações tanto geopolíticasquanto econômicas à nível internacional.
A queda do muro, além de tudo, simbolizou a unificação das Alemanhas Oriental e Ocidental, algo inimaginável naquela época, enfim o atraso tecnológico, as técnicas de produção obsoletas e sobretudo o espectro do comunismo estavam com os dias contados na Eurásia.
Em substituição ao conflito “Leste X Oeste”, típico da Guerra Fria, surge o atual conflito“Norte X Sul”, que gira em torno do caráter unipolar (representado quase que exclusivamente pelos EUA), ou multipolar (incluindo também países desenvolvidos como a própria Alemanha, a Inglaterra, Japão e emergentes, tendo como exemplo a China).
A divisão geopolítica “Norte X Sul” não se dá somente no âmbito geopolítico, como vimos anteriormente, mas também no cenário sócio-econômico, o quesignifica que o Norte não necessariamente estará acima da linha do Equador e o Sul respectivamente abaixo, pois muitos países mesmo estando localizados
02
geograficamente ao Sul, por exemplo, podem pertencer ao Norte economicamente falando, como é o caso da Austrália.
Damos aoatual conflito “Norte X Sul” o nome de multilateralismo com até mesmo um crescente regionalismo econômico; tanto um quanto o outro, são resultados das influências capitalistas no mundo globalizado, pois a cada dia o comércio internacional é intensificado graças à formação de mercados comuns (União Européia), zonas de livre comércio (Nafta), ou Uniões Aduaneiras (Mercosul).
O regionalismo econômico,como próprio nome já diz, compreende países próximos que estabelecem um acordo comercial, podendo apresentar maior ou menor nível de integração, um exemplo de grande integração é a União Européia, que estabeleceu não só uma legislação em comum, mas também políticas comerciais e uma moeda unificada, o Euro.
Os chamados blocos econômicos são de grande importância no cenário sócio-econômico atual,sendo extremamente funcionais desde que não haja preconceitos contra os países subdesenvolvido ou emergentes e até mesmo uma possível exploração por parte dos países mais ricos, fato constatado no Nafta (Tratado Norte-americano de Livre Comércio), onde o Canadá e especialmente os EUA acabavam por explorar seus vizinhos mexicanos que de acordo com a DIT (Divisão Internacional do Trabalho) são...
tracking img