A astrologia: seus usos e seu declínio na idade moderna.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2501 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A astrologia: seus usos e seu declínio na idade moderna.
Efigênia do Rego Barros

RESUMO:
Este texto busca enfocar a astrologia no período compreendido entre os séc. XIV e XVIII corespondente a idade moderna, visando enfocar seus usos, e a visão do homem moderno em relação a esta prática e como perdeu popularidade com avanço das ciências e da astronomia. Nesse sentido teremos três tópicos aserem discutidos com maior profundidade que são: 1- astrologia: como e para que era usada, 2- astrologia e sua relação com a igreja católica, 3- a astrologia e seu declínio.
PALAVRAS CHAVE: ASTROLOGIA, IDADE MODERNA, IGREJA CATÓLICA.

ABSTRACT :
This text seeks to focus on astrology in the period between the century. XIV and XVIII coresponding the modern age, in order to focus on its uses,and the vision of modern man in relation to this practice and as lost popularity with the advancement of science and astronomy. In this sense we have three topics to be discussed in greater depth are: 1 - Astrology: how and what was used, 2 - astrology and its relationship with the Catholic Church, 3 - astrology and its decline.
KEYWORDS: ASTROLOGY, MODERN AGE, THE CATHOLIC CHURCH.INTRODUÇÃO:
Desde a antiguidade o ser humano tem buscado formas de descobrir o futuro,usando supertições,oráculos,runas,cartas, e a Astrologia. Esta, por sinal, tem tido mais respaldo entre os homens e mulheres e foi considerada como uma ciência moderna de previsões e adivinhações. Seu amplo uso chegou a influenciar até mesmo a medicina e as decisões políticas, pois partia- se do principio de que oque era perfeito (o céu, os astros e estrelas) dirigia o que era transitório e imperfeito (os acontecimentos da terra e a vida dos homens).
Essa crença bastante forte mostra a intrica relação que o homem medieval mantinha com a natureza, a eterna curiosidade de saber suas origens e também o seu futuro, além do desejo de sentir-se pertencente a algo que transcenda o mundo físico. Porém, com oaprofundamento da ciência o homem moderno começa a se abrir para o mundo físico e afastar-se (não totalmente) do supersticioso. Bem como os grandes navegadores que puderam então, com o inicio da separação entre astrologia e astronomia no séc. XVI, lançarem se ao mar em busca dos novos mundos.
A astrologia e a astronomia são campos de saber bastante próximos, e sua diferenciação demorou cerca de umséculo para acontecer. Somente no Séc. XVII os dois vocábulos estavam diferenciados e com a ajuda da geometria pode-se chamar de astrônomo aquele que estudava os corpos celestes, seus movimentos e sua dinâmica,e de astrólogo aquele usava o posicionamento e os movimentos dos astros para fazer previsões e fornecer explicações para os acontecimentos do mundo na época.
O amplo uso das previsõesastrológicas fez com que os defensores da igreja católica procurassem sempre impor limites a esta febre da época, pois precisavam evitar que as pessoas se esquecessem de que deus é onipotente e que os homens tem seu livre arbítrio, e foi então que a astrologia foi dividida em natural e judiciária. Assim a igreja tinha uma boa aceitação da astrologia natural que fazia predições de coisas que poderiam ou nãoacontecer, como por exemplo, uma seca prolongada, ou um inverno menos rigoroso, e até se um casamento poderia ser feliz.Já a astrologia judicial era vista como maléfica,mentirosa e embusteira, pois previa o que certamente iria acontecer e influenciava a vida pessoal e as escolhas dos homens.Tomas de Aquino diz no livro Tratado da Religião:“Por conseguinte, o bom cristão há de se guardar muito bemdesses matemáticos e de toda a classe de gente que pratica impiamente a adivinhação, fugindo sobretudo dos que dizem a verdade. Que a alma, enganada por esse comércio, não caia nas redes que a levem definitivamente até os demônios ’’.

Astrologia: como e para que era usada.
A astrologia teve uma infinidade de usos, pois sua popularidade era tanta que nas casas dos pobres e nos palacetes...
tracking img