A arte de aprender a ensinar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (919 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]skip to main | skip to sidebar

A ARTE DE APRENDER E ENSINAR

Oi pessoal obrigado pela visita ao meu blog, tem pouquinha coisa, porém espero que ajude. Não esqueçam de postar um comentário,pois ele será muito importante para o nosso crescimento. No lado esquerdo tem dicas de sites e atividades, é só clicar nas opções: artes, parlendas e etc. No final, também do lado esquerdo, tem aindicação de vários blogs com dicas super legais (é só clicar), vale a pena conferir.
[pic]
[pic]
Romero Brito
[pic]

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

EDUCADORES DIVIDEM-SE EM "APOCALÍPTICOS"E "INTEGRADOS"

“Uma escola que não ensina como assistir à televisão é uma escola que não educa”, afirma o pedagogo espanhol Joan Ferrés. Autor de livros como Televisão e Educação, TelevisãoSubliminar e Vídeo e Educação, ele observa que a tendência no meio escolar é a de adotar atitudes unilaterais diante do fenômeno da televisão.
“Conforme a conhecida dicotomia de Umberto Eco (intelectualitaliano, autor de ensaios e romances), seria possível falar de apocalípticos e integrados”, afirma Ferrés. “Talvez na escola o predomínio seja dos primeiros. Segundo esses catastrofistas, a televisãoprovoca todo tipo de males físicos e psíquicos: problemas de visão, passividade, consumismo, alienação, trivialidade.”
No extremo oposto, nota Ferrés, aparecem as posturas integradas, “segundo asquais a televisão deve ser considerada como uma oportunidade para a democratização do conhecimento e da cultura, para a ampliação dos sentidos, para a po-tenciação da aprendizagem. A televisão representaa cultura da opulência e da diversidade, a cultura da liberdade, das opções múltiplas”. Ferrés lembra que, também segundo Umberto Eco, as atitudes extremistas acabam confluindo, levando a resultadossemelhantes. “A atitude mais adequada é a aceitação crítica, o equilíbrio entre o otimismo ingênuo e o catastrofismo estéril, um equilíbrio que assuma a ambivalência do meio, as suas possibilidades e...
tracking img