Zine

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3442 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
Na grande maioria das vezes os pensamentos daqueles que fazem hip hop são registrados e interpretados somente através de discos, vídeos e fotos, e muitos nem este tipo de registro conseguem, tendo a memória da arte rica original da rua, produzida por eles, perdida com o tempo. Então, alguns destes que sentem o hip hop, que desabafam através de scratches, tags, top rocks e versos, quetêm o coração batendo no compasso, que respiram o cheiro do spray e carregam mochilas pesadas cheias de atitudes coloridas, que tem o corpo movido pelas batidas, que expõem pensamentos rimados, vêm por meio deste zine registrar suas idéias também em forma de arte literária, afim de incentivar a leitura a todo público com textos, poesias e poemas escritos por B.boys e B.girls, Writers (escritorese escritoras de graffiti), Djs e Mcs. Eis que surge o zine “POVO – Literatura Hiphopiana”.

“Inventar o novo para todo nosso povo Que ainda e denovo deseja alforria”

POVO Pessoas Organizadas Vencem Opressão

Índice
Renato de Sousa .......... MC *Mensagem *Pensamentos Vadios Peter Pan ……………. B.Boy *O que há? *Nasceu jovem morreu cedo Nina Brown ................. MC *Ayabas Cena7.......................... Writer *Intrigante *7 e outros números Emol............................. Writer *Idas e voltas *Metrópole SP G. Box.......................... MC *Nem esquerda nem direita *Quem é o campeão? Preto El………………. DJ *Singela homenagem

Mensagem
Muito vital será tua coragem Unida a tua força e bondade Levando em consideração sua desvantagem Historicamente causada pela masculinidadeEvidente, que não se entregou, Revoltou-se e todo preconceito enfrentou Bobagem achar que tudo isso te enfraqueceu Revoltante seria ver que seu coração endureceu... A ternura tua, dura mesmo sob tortura, Sua sabedoria venceu até mesmo a ditadura Indiferente você segue enfrente Linda e carinhosa olhando pra toda sua gente Em constante teste a provação Inteligentemente vence com brilho a exploraçãoRevigora-se do tombo e dá volta por cima Ama a tudo e todos com um amor que nos ilumina Teu olhar é sagrado, por Deus abençoado, Em teus braços o mundo está debruçado Um gesto seu escreveu nossa história Através do tempo você é a vitória! Muito se diz pouco se sabe exatamente Obstáculos surgem a sua frente constantemente Raras, são às vezes que se deixa abater, Superação é quase uma regra pra vocêEntretanto nunca deixará de sonhar Recomeçar com fé, por mais que tenha que lutar, Atravessando mares, montanhas e lugares Navegando em condições adversas e polares Outrora seus pequenos sonhos se tornaram gigantes Simples desejos foram ficando distantes, Sabendo de tudo isso continua sem desistir Acalentando mesmo na fraqueza aquele que duvida de ti Revolução pra ti sempre foi sua criança Esperança que nunca seca como sua sede de mudança Demora você sabe, disso tem consciência. Embora por várias vezes perca a paciência Nada que abale sua capacidade de luta Cada dia a espera de uma mudança de conduta Aquele da força bruta, perde depois da dor Outra vez graças a seu toque vence o amor...

Renato de Souza

Ilustração: Amanda

Pensamentos Vadios
O que habita no imaginário maisprecário No sentido mais primário do nosso dia-a-dia Inventar o novo para todo nosso povo Que ainda e de novo deseja alforria Viajo em pensamentos imaginando momentos O fim de muitos tormentos sofridos, vividos Cotidianamente pela nossa gente Que felizmente muda o que tem acontecido Perdido em minha mente sigo enfrente Vivendo firmemente só o que acredito Analisando com frieza toda beleza E toda durezade tudo que tenho escrito Verdade seja dita, por mais que reflita E me omita sempre esbarro na realidade De pessoas à toa achando estar numa boa Na terra da garoa e da dificuldade E essa vida que peregrina perdida Por ruas sem saída e sonhos infinitos Que mexem com o sono de colonos Derrubando donos pra deixar o mundo mais bonito Esse é o mundo real do capital, neoliberal Tão surreal que...
tracking img