Xica da silva

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1482 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CHICA DA SILVA SEM X

Chica da Silva sem X
18/11/2003
Livro mostra que mito da escrava-rainha esconde hipocrisia da democracia racial brasileira

Esqueça tudo o que você acha que sabe sobre Xica da Silva. Começando, aliás, pelo nome dela: Chica, em verdade, Francisca da Silva, mulata, filha de negra e português, nascida entre 1731 e 1735 (data incerta) na região de mineração de diamantes doarraial do Tejuco, comprada e alforriada pelo contratador de diamantes João Fernandes de Oliveira, com quem viveu 16 anos e teve 13 filhos. A negra sensual que arrancava uivos do senhor português e horrorizava a sociedade é mito inventado no século 19 e reapropriado, de formas diversas por épocas diversas, cada uma interessada na sua visão.
Conhecer a Chica com "ch" é descobrir que a pretensa"democracia racial" do Brasil é um mito tão sem fundamento como o da própria escrava que foi rainha. "Chica freqüentava a elite branca da cidade e todas as irmandades brancas do Tejuco e, ao morrer, foi enterrada no cemitério da Igreja de São Francisco de Assis, privilégio dos brancos endinheirados. Isso tudo prova que ela era uma mulher que se portava de acordo com os padrões sociais e morais daépoca", argumenta a pesquisadora Júnia Ferreira Furtado, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), autora do recém-lançado Chica da Silva e o Contratador dos Diamantes (Companhia das Letras, 400 pags., R$ 48,50), um estudo histórico sobre as relações de gênero e raça nas Minas Gerais do século 18 que se lê com prazer de romance.
Em contraponto com a mítica, Júnia mostra que Chica não foi casosui generis, embora especial, em que uma mulher negra forra, em busca de ascensão social, se unia a um homem branco poderoso. E que, na contramão das histórias, Chica queria mesmo a inserção na elite da época, sem nenhum caráter libertário. A ex-escrava acabou proprietária de escravos e adotou os valores da elite para poder pertencer de alguma forma a ela. "Elas procuravam imitar hábitos ecostumes da elite, de modo que reproduziam em escala menor o mundo daqueles que a haviam submetido à escravidão", diz Júnia.
"A alforria, em vez de ponto de partida para a constituição afirmativa de uma identidade negra, era o início de um processo de aceitação de valores dessa elite, de forma a inserir-se, assim como a seus descendentes, nessa sociedade", observa a autora.E, nada mais comum, dadas ascircunstâncias do isolamento natural da região ("Uma colônia dentro de outra colônia", como definiu Charles Boxer em seu The Golden Age of Brazil ) que deixavam interessante a união entre brancos e negras. "O seu caso não é único, mas é um exemplo forte da estratégia de se apagar a origem escrava, ou seja, se podia casar com uma negra, desde que ela fosse ïbranqueada`", diz Júnia. "Chica foi usadacomo o modelo de democracia racial (de como os brancos se uniam a negras), quando, na verdade, ela reforça a hipocrisia desse conceito e mostra como se davam - e ainda se dão - as relações raciais no Brasil: ter relações com negras não é mau, desde que não oficial. Depois basta ïlimpar` a família. Esse é o pensamento subjacente."
Também subjacente à união entre Chica e o contratador é a própriahistória do arraial do Tejuco. Os diamantes foram descobertos lá em 1729, embora antes disso já houvesse explorações incipientes. Sempre que riquezas eram encontradas na colônia, a metrópole se movimentava para garantir a sua parte na exploração e nos impostos. A Coroa criou um modelo exemplar, baseado em contratos arrematados de quatro em quatro anos por um interessado ou uma sociedade queorganizaria a exploração para o governo de Lisboa e garantiria para a corte a parte do leão. Um dos contratadores foi o sargento-mor João Fernandes de Oliveira, pai do futuro marido homônimo de Chica da Silva. O arraial que o contratador-pai encontrou era habitado predominantemente por mulheres negras. Daí a prodigalidade das relações entre brancos e elas: Chica, por exemplo, era escrava de Manuel...
tracking img