Violencia no transito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 37 (9147 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Curso de Capacitação para Psicólogo Perito Examinador do Trânsito Responsável pela Avaliação Psicológica













Violência no Trânsito








MARA FERNANDA ARAÚJO MELO





Maceió, AL
Janeiro, 2010


MARA FERNANDA ARAÚJO MELO





Violência no Trânsito








Trabalho apresentado ao Núcleo de Trânsito, como requisito parcial da avaliaçãofinal do curso.
Orientador: Prof. Manoel Ferreira.















Maceió, AL
Janeiro, 2010.
INTRODUÇÃO



De acordo com Rodrigues (2008) violência por definição é um comportamento humano que vise ou possa causar dano a outra pessoa, ser vivo ou objeto. È o ato atentatório contra a autonomia, integridade física ou psicológica e mesmo contra a vida de outro. É um fenômeno quepermeia todo o tecido social e assume diferentes formas.
Diante das elucidações acima este trabalho foi desenvolvido com o propósito de abordar de forma simples e objetiva a seguinte temática: Violência no transito. Visando proporcionar informações à cerca do termo violência, bem como enfatizando os tipos de violência e a sua relevância no trânsito.REVISÃO BIBLIOGRAFICA

1.0 O que é violência
De acordo com o Fórum de Direitos Humanos (2006) a violência de modo geral, define-se como sendo o uso de palavras ou ações que machucam as pessoas. É violência também o uso abusivo ou injusto do poder, assim como o uso da força que resulta em ferimentos, sofrimento, tortura ou morte.
Segundo Asblaster (2008), violência é a “ação ou efeito deviolentar, de empregar força física (contra alguém ou algo) ou intimidação moral contra (alguém); ato violento, crueldade, força”. No aspecto jurídico, o mesmo dicionário define o termo como o “constrangimento físico ou moral exercido sobre alguém, para obrigá-lo a submeter-se à vontade de outrem; coação”.
Já a Organização Mundial da Saúde (OMS) define violência como “a imposição de um grausignificativo de dor e sofrimento evitáveis”. Mas os especialistas afirmam que o conceito é muito mais amplo e ambíguo do que essa mera constatação de que a violência é a imposição de dor, a agressão cometida por uma pessoa contra outra; mesmo porque a dor é um conceito muito difícil de ser definido.
Para todos os efeitos, guerra, fome, tortura, assassinato, preconceito, a violência se manifesta de váriasmaneiras. Na comunidade internacional de direitos humanos, a violência é compreendida como todas as violações dos direitos civis (vida, propriedade, liberdade de ir e vir, de consciência e de culto); políticos (direito a votar e a ser votado, ter participação política); sociais (habitação, saúde, educação, segurança); econômicos (emprego e salário) e culturais (direito de manter e manifestar suaprópria cultura). As formas de violência, tipificadas como violação da lei penal, como assassinato, seqüestros, roubos e outros tipos de crime contra a pessoa ou contra o patrimônio, formam um conjunto que se convencionou chamar de violência urbana, porque se manifesta principalmente no espaço das grandes cidades. Não é possível deixar de lado, no entanto, as diferentes formas de violênciaexistentes no campo. (Anthony Asblaster 2008).
Para Anthony Asblaster (2008), a violência urbana, no entanto, não compreende apenas os crimes, mas todo o efeito que provocam sobre as pessoas e as regras de convívio na cidade. A violência urbana interfere no tecido social, prejudica a qualidade das relações sociais, corrói a qualidade de vida das pessoas. Assim, os crimes estão relacionados com ascontravenções e com as incivilidades. Gangues urbanas, pixações, depredação do espaço público, o trânsito caótico, as praças malcuidadas, sujeira em período eleitoral compõem o quadro da perda da qualidade de vida. Certamente, o tráfico de drogas, talvez a ramificação mais visível do crime organizado, acentua esse quadro, sobretudo nas grandes e problemáticas periferias.
Hoje, no Brasil, a violência,...
tracking img