Violencia nas escolas: o perigo estuda ao lado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3217 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo

Este trabalho buscou analisar as manifestações da violência por meio de estudos bibliográficos e levantamento de dados. Estudar a influência das relações interpessoais e a importância dos limites no processo educativo dos adolescentes e implantação de projetos nas instituições educadoras são tentativas de minimizar o fenômeno da violência. Tentou-se também estudar os fenômenos queatualmente tem interferido no processo educativo dos adolescentes, disseminando a cultura do desrespeito e intolerância ao próximo. Há necessidades de implantação de projetos de integração entre os autores de combate a drogas e porte de armas. Alunos e professores estão cientes de que falta estrutura da escola e impotência de todos os envolvidos, e não sabem como agir, enquanto os números se tornamalarmantes, realidade que todos gostaríamos que fosse diferente.
Palavras – chave: Adolescente, Violência, Escola.

INTRODUÇÃO

A Sociedade é uma organização permeada por semelhanças e desigualdades. Vários são os aspectos que requerem grande atenção, dentre eles destaca-se a violência nas escolas.
Este trabalho abordará sobre a violência e o fracasso das escolas e dasociedade em lidar com o problema, permitindo que as estatísticas se agravem no ambiente escolar. É a crescente onda de violência nas escolas, retratadas diariamente em nossos noticiários e em números assustadores, o que despertou o interesse em avaliar o que pode estar levando nossos jovens e professores a perderem a noção do respeito ao próximo em um lugar onde se deveria ensiná-lo e aprende-lo. Osbullyings, gangs de estudantes, homicídios, ameaças em comunidades e sites de relacionamentos a alunos e professores, vídeos de brigas entre alunos, e de exposição à humilhação e constrangimento dentro de salas de aulas tem “caído” na rede e nos noticiários como uma bomba da nossa geração de jovens.
Silva (2004) aponta que a violência sempre foi o tema dominante em embates ideológicos, sejameles de direita, sejam de esquerda, concretizando-se em guerras e revoluções.
Algo tem levado a nova geração a desencadear uma onda de violência gratuita e irracional. Acredita-se que a impunidade, a não implantação de leis mais rígidas e o descaso das escolas e autoridades diante do problema são responsáveis pela banalização da violência. A impotência das escolas e direção em lidar comas ocorrências dentro e fora das salas, professores despreparados psicologicamente e sem capacidade de impor a moral aos alunos e leis que não prevêem punições adequadas aos jovens infratores podem ser a causa e conseqüência do aumento da violência. A presença de pessoas qualificadas em lidar com estas situações, profissionais preparados a desempenhar papel como mediadores de conflitos e quepoderiam acompanhar e assistir a escola na formação da psique e caráter dos alunos: psicopedagógos, psicólogos e também o assistente social, poderia auxiliar na criação de projetos e acompanhamento dos alunos, pais, sociedade, Escola e professores a um enfrentamento lógico, racional e apaziguador. O que não pode é existir a possibilidade da convivência e aceitação deste tipo de violência, poracreditar que são coisas de jovens.
Candau (1999), refletindo sobre os riscos da banalização da violência, afirma que, de tão freqüentes, os atos, acabam por serem considerados normais, próprios da faixa etária dos alunos e sua condição sócio-cultural. Este fator associado a outros, favorecerá ainda mais a trama da violência nos seus mais variados aspectos.
O presente trabalho obejtivaanalisar a relação entre a violencia e os fatores que a promovem, através do resgate histórico e estatístico no âmbito escolar, das formas de violências praticadas, as estratégias de intervenção e como a participação da sociedade e dos profissionais da educação, saúde e serviços sociais podem mediar os conflitos.

Desenvolvimento

A questão da violência urbana está em sintonia com...
tracking img