Violencia contra a mulher

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1835 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A MULHER: UMA QUESTÃO DE GÊNERO* Larissa Daiane Osowski Barreto1 Gessi Maria Cardoso2 Débora Fransceschini3 Fábio Zanrosso3 Roselaine Roratto Muner3 Suelen Benedita3 INTRODUÇÃO: A violência contra a mulher é uma manifestação das relações sociais de sexo e de poder, historicamente desiguais entre homens e mulheres. Segundo a Rede Feminista de Saúde (2003) conceitua-seviolência como todo e qualquer ato embasado em uma situação de gênero, na vida pública ou privada, que tenha como resultado dano de natureza física, sexual ou psicológica, incluindo ameaças, coerção ou a privação arbitrária da liberdade. Os atos ou ameaças de violência infundem medo e insegurança e tem conseqüências psicológicas muitas vezes irreversíveis como suicídios, impotência e incapacidade deagir, desespero e sensação de abandono, perda da auto-estima, agitação e ansiedade e casos graves de depressão. Pessoas vítimas de violência sexual nas relações de casal carregam traumas físicos e psicológicos para o resto de suas vidas, além de estarem mais susceptivas a outras formas de violências como a prostituição, o aborto, a drogadição, as doenças sexualmente transmissíveis, as doençasginecológicas, a crise de depressão e a suicídio (STUDART, 1990). Segundo o Ministério da Saúde (2001), violência sexual é toda a ação em que uma pessoa com mais poder e força física, intimida/coage outra pessoa ao ato sexual contra sua vontade propiciando sua vitimização. O enfrentamento da violência exige a efetiva integração de diferentes setores, bem como da sociedade civil organizada. OBJETIVO:Identificar as principais formas de violência sexual contra a mulher nas relações de casal e suas conseqüências.

Projeto de Pesquisa em fase final Acadêmica do Curso de Enfermagem da UNIPAR– Rua Jorge Lacerda, 798, bloco A-3, apartamento 12, centro, CEP 85.800-000 – Cascavel-PR – Telefone: (45) 3035-3557 – E-mail: larissadaiane.barreto@hotmail.com 2 Mestre em Enfermagem – Docente do Curso deEnfermagem da UNIPAR – gessimc@terra.com.br 3 Acadêmicos do Curso de Enfermagem da UNIPAR
* 1

METODOLOGIA: Utilizou-se o método descritivo exploratório com abordagem qualitativa dos dados em amostragem aleatória simples. O caminho metodológico contemplou a pesquisa de campo com entrevista semi-estruturada aplicada à clientela que freqüenta a Unidade Básica de Saúde do Bairro Faculdade da cidade deCascavel, Paraná. É um estudo qualitativo sobre a identificação e a compreensão das principais formas de violência sexual contra a mulher sob a ótica de gênero, tendo como agressor seu companheiro. A coleta de dados foi realizada nos meses de setembro, outubro e novembro de 2004 com entrevistas individuais, tendo uma duração média de uma hora cada, sendo o registro dos depoimentos coletados manualmente.RESULTADOS: A caracterização sócio-econômica da amostra possibilitou delinear o perfil dos pesquisados em termos de idade, filhos, escolarização, religião, cor, trabalho, profissão, renda e lazer. A idade predominante foi de 29 a 30 anos (80%); 40% têm três filhos e 30% dois filhos. A escolaridade apontou 20% analfabetas; 20% com 1º grau incompleto; 20% com 2º grau completo e 20% com CursoSuperior Completo. Referente a crença religiosa 70% seguem a religião católica, as demais adventistas, espírita e testemunha de Jeová. Quanto a cor da pele evidenciou-se 70% branca, 20% parda e 10% preta. A pesquisa apontou que 30% são diaristas trabalhando 10 horas/dia, 50% atuam no setor público/privado com 8 horas/dia; 20% são agricultoras com jornada de 12 a 14 horas/dia. A renda familiar oscilaentre R$ 500,00 e R$ 1000,00 (40%); 30% com renda inferior a R$ 500,00 e 30% com renda superior a R$ 1000,00. Quanto ao lazer evidenciou-se que 80% visitam familiares e amigos; 60% utilizam os meios de comunicação em massa/programas de televisão; 20% têm como hábito de vida freqüentar semanalmente o culto religioso. Quanto à profissão de seus companheiros evidenciou-se que 20% são motoristas,...
tracking img