Vila nova artigas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1654 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Vilanova Artigas

Vilanova Artigas
Pensamento e obra

Vilanova Artigas

Para complementar a sua formação profissional,
freqüentou um curso de desenho com modelo vivo na
Escola de Belas Artes, período em que convivia com os
artistas plásticos Volpi, Rebolo, Bonadei, Clóvis Graciano
e Virgínia Camargo, com quem se casou.

Vilanova Artigas

João Batista Vilanova Artigas nasceu emCuritiba, em
junho de 1915.
Começou a estudar engenharia em Curitiba na Escola de
Engenharia da UFPR e, buscando a arquitetura,
transferiu-se para a Escola Politécnica da USP na qual
se formou arquiteto por volta de 1937.

Vilanova Artigas

Sua intenção era reforçar o lado artístico que entendia
ser tão necessário para a formação do arquiteto quanto a
formação técnica que recebera na Poli.Vilanova Artigas

Res. Luis Americano, 1952

Sua intenção era reforçar o lado artístico que entendia
ser tão necessário para a formação do arquiteto quanto a
formação técnica que recebera na Poli.

Como estudante trabalhou no escritório de Oswaldo
Bratke, importante arquiteto paulista pioneiro da
arquitetura moderna em São Paulo.

1

Vilanova Artigas

Vilanova Artigas

Nestamesma época torna-se professor
assistente de Arquitetura na Escola
Politécnica e monta uma construtora com
um colega, a Marone & Artigas que
funcionou de 1940 até 1944.

Aos 23 anos de idade participa do concurso para projeto
do Paço Municipal de São Paulo em parceria com
Gregori Warchavchik , classificando-se em 2º lugar.

Vilanova Artigas

“o (duílio) marone foi meu colega lá naescola e nós
fizemos a firma porque não havia profissão de arquiteto
como tal, nessa época, você tinha que ter uma empresa
construtora, fazer orçamentos, e empreitar pequenas
obras e residências, e eu tinha que enfiar minhas noções
de arquitetura através de um processo puramente
comercial; construir casas para renda ou casas para
pequenos proprietários, que era o que se fazia naquela
época.” .Vilanova Artigas

Vilanova Artigas

Neste período Atrigas reconhece
ter vivido a sua fase “wrightiana”,

Vilanova Artigas

Casa L.G. Monteiro 1940

“procurei a forma que fosse a minha forma original e
moderna de volume que era mais fácil buscar no Wright
do que em Le Corbusier. Mais tarde me reconciliei com
as coisas do Corbusier,...”

“A casinha é de 1942... custou 30 contos,fora o telhado
.. Transferi algumas vivências minhas de menino
paranaense que tem sala e não sabe para quê. a
convivência da família brasileira era na cozinha ...

2

Vilanova Artigas

... enquanto na casa tradicional paulista a sala de jantar
se dirigiu na direção do living room ... eu fui para a
tradição brasileira de integrar a cozinha á sala.

Vilanova Artigas

A obra maisrepresentativa da fase wrightiana é a casa
Paranhos Rio Branco, de 1940

Vilanova Artigas

Nela a linguagem formal de Wright é mesclada com soluções
próprias da arquitetura de Artigas, inclusive na concepção estrutural
que permitiu os amplos balanços e beirais de até 1,80 m.

Vilanova Artigas

“A casinha é de 1942... custou 30 contos, fora o telhado .. Transferi
algumas vivências minhas demenino paranaense ... enquanto na
casa tradicional paulista a sala de jantar se dirigiu na direção do
living room ... eu fui para a tradição brasileira de integrar a cozinha a
sala.

Vilanova Artigas

Nela a linguagem formal de Wright é mesclada com
soluções próprias da arquitetura de Artigas, inclusive na
concepção estrutural que permitiu os amplos balanços e
beirais de até 1,80m.Vilanova Artigas

O Edifício Louveira, projetado por Vilanova Artigas em
1946, inovou ao trazer à São Paulo avanços da
Arquitetura Moderna Brasileira, interpretando os
princípios corbusianos e da “escola carioca”.

3

Vilanova Artigas

O projeto ousou implantar entre dois blocos paralelos um
espaço semi-público como local de convívio e prolongamento
da praça vizinha, um pátio...
tracking img