Vida e obra pedro gardes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2515 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CONTRIBUIÇÕES DO PROFESSOR JOÃO PEDRO GARDÉS PARA A EDUCAÇÃO EM MATO GROSSO
(1871 - 1914)



Acilene da Silva Ferreira
Amanda Yasmim Cezarino
Gabriela Farias Monteiro
Jairo Pereira de Souza
Rosani Beatriz Mertz


Resumo

Palavras-chave:

Introdução
O final do Período Imperial e início da República são marcados pela preocupação das Províncias em relação à populaçãoanalfabeta no país. Conforme Elizabeth Sá e Santos (????),
“Muitas delas chegaram a instituir escolas noturnas no período, preocupando-se assim com a população adulta analfabeta [...] As Assembléias Provinciais tornam-se palco de acaloradas discussões sobre a política de instrução para adolescentes e adultos, enfocando os processos de inserção das chamadas camadas inferiores, envolvendomulheres, homens livres pobres, negros livres. Quanto ao objetivo do processo de alfabetização, parece se acentuar nesse momento a concepção do analfabeto como ignorante e incapaz, concepção essa que ultrapassa os limites do Império, perdurando até boa parte do século XX.

Observa-se neste contexto - com a descentralização da Educação, que antes era de total responsabilidadedo Governo Imperial, e que com o Ato Adicional de 1834 estabeleceu-se que as províncias assumiriam o controle da educação elementar e secundária - uma preocupação das províncias em equiparar o seu ensino à capital fluminense, e que, no caso de Mato Grosso, mesmo diante da empolgação dos governantes provinciais em fundar uma escola noturna para escolarização de adultos, com cursos que contemplavadesde as primeiras letras até as disciplinas de línguas, não alcança seu objetivo imediatamente, sendo demonstrado inclusive e principalmente pela grande evasão, que em alguns casos acontece em massa, levando o presidente da província a considerar inviável a continuidade da ministração dos cursos, principalmente os de idiomas. Segundo Elizabeth Sá e Santos (????):
(...) Pretendendo nãoabandonar totalmente a intenção de funcionamento dessa modalidade escolar, a idéia defendida pelo presidente da Província era de reduzir o currículo do curso noturno, limitando-se ao ensino das primeiras letras e da gramática, voltando-se especificamente para a alfabetização dos adultos, ou seja, deixa transparecer em seu discurso que para essa “classe de homens”, esse conhecimento já é osuficiente.

Com o advento da República, mas especificamente na República Velha e, consequentemente a transferência do poder político para as mãos dos coronéis oligárquicos, Mato Grosso é marcado por intensas batalhas, inclusive campal, no centro da capital pela disputa do comando no estado. Isto praticamente deixa estagnado o processo de educação para adultos, que passa a terênfase somente na escolarização primária, muito embora as iniciativas de alfabetização de professores particulares continuassem ativas.
É neste contexto que pretendemos apresentar aqui neste artigo - dividido em quatro partes que são: A sua chegada em Mato Grosso; Fundação do Liceu Cuiabano; A Escola de Aprendizes e Artífices; Um Grande Legado - as contribuições do professor JoãoPedro Gardés, que deixou uma herança de dedicação, persistência e principalmente altruísmo, deixando sua terra natal - a França - e se volta para praticamente inicializar um processo de implementação da educação para jovens e adultos no estado. Para isto, recorremos a pesquisas desenvolvidas sobre o tema, publicações de memórias de família e artigos. A delimitação fica por conta de sua chegada aMato Grosso, no ano de 1871, até 1914, último ano em que presidiu a Escola de Aprendizes e Artífices, hoje Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).


1. A chegada em Mato Grosso
João Pedro Gardés é, segundo Madureira (????),
"Natural de Lausanne, Departamento do Alto Loire, descendeu João Pedro Gardés de Cláudio e Melânia...
tracking img