Vida para consumo,resenha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (560 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
BAUMAN, Zigmunt. Vida para Consumo: a transformação das pessoas em mercadorias.Tradução Carlos Alberto Medeiros.Rio de Janeiro: Jorge Zahar.Ed.,2008.-------------------------------------------------
Alyson José Cavalcanti da Silva ,aluno do curso de Gestão de Turismo, do INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO,CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO – CAMPUS RECIFE.Geografia do turismo-------------------------------------------------
Prof° Adauto Gomes Barbosa

O autor Zygmunt bauman, expõe três casos da matéria do jornal britânico the guardian. No primeiro, aborda o contato das pessoas comas redes sociais da internet, onde as mesmas se exibem, adolescentes de 13 a 17 anos tem um perfil em sites de rede, possibilitando assim o contato on-line com o mundo. Exibindo fotografias , imagens,o mais íntimo de suas vidas, seus desejos, vontades , e muitos que prezam por sua invisibilidade, segundo o autor, “tendem a ser rejeitados” , como se fossem suspeitos de um crime”. Muitos chegam aevitar o contato com seres humanos de carne e osso. No segundo, empresas de grande porte coletam dados e informações para uma seleção de pessoal do tipo classe media alta , excluindo assim os menosfavorecidos que não têm crédito na praça , não tem limite em cheque especial, não tem dinheiro, separando os bons consumidores dos consumidores falhos.E no terceiro, chama a atenção para um sistema deimigração britânica , baseado em pontuações ,assegurando assim a entrada e permanência no país de pessoas dotadas de conhecimentos e habilidades para tal.
A Obra de Bauman , expressa diferentesdiscussões na forma de pensar sobre o consumismo, subentendendo consumo como compra de objeto e produtos, mas também comportando a disponibilidade dos próprios sujeitos, para se transformarem emmercadorias. O autor deu o nome de “consumismo”, pessoas assumem a condição de mercadorias e de bens a serem desejados. O autor diz que a sociedade de consumidores, ou seja nós, nunca seremos sujeitos sem...
tracking img