Verdade e conhecimento: a capacidade do homem de buscar a verdade e chegar ao conhecimento.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1901 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo
O artigo objetiva discutir, como o homem há tanto tempo busca o conhecimento, levando em consideração que esta busca se dá a partir do momento em ele se descobre com um ser no mundo, um ser capaz de criar as próprias circunstâncias para sua existência. E abordar como a teoria do conhecimento pode ajudar nesses aspectos, sendo que esta importante disciplina de fato torna-se autônoma quandoa filosofia passa a não ter tanta preocupação com a metafísica. Conceitos como verdade e conhecimento também serão abordados.

Palavras-chave: Conhecimento. Verdade. Habilidade. Homem. Capacidade.


Introdução

O conhecimento humano é uma atividade que há muitos anos busca soluções para elucidar um grande desafio que acompanha o homem desde que este passou a compreender a realidade e aperceber sua capacidade de raciocínio, utilizando-o assim como um método para assegurar sua sobrevivência.
O homem é o único ser detentor do conhecimento, sendo assim, este carrega consigo a possibilidade de questionar, indagar e perguntar; transformando, portanto, o mundo em que se encontra, e a partir disso fazer descobertas científicas.
A partir da descoberta humana, de que ela é a única capazde conhecer a realidade em que vive, o homem constitui seu próprio mundo, pois a ciência dá suporte para que este possa dominar com sua técnica o mundo circundante. Pois, a partir do momento em que percebeu que tinha a necessidade de criar mecanismos para a melhoria de sua vida, este passou a investigar como se dá a descoberta das coisas, passando assim a projetar-se para seu bem viver.


1- Oser humano é capaz de conhecer? O conhecimento é possível?
A teoria do conhecimento pode ser definida como a investigação acerca das condições do conhecimento verdadeiro. É a interpretação de que o conhecimento é representação, isto é, uma “imagem” ou “reprodução”, mental da coisa conhecida. Neste sentido podemos dizer que existem tantas teorias do conhecimento, pois segundo URBANO ZILLES(2006) Desde que o homem filosofa, indaga pela essência do conhecimento.
Uma noção importante é a de que, no processo de conhecimento existe a relação entre dois elementos básicos: um sujeito conhecedor (nossa consciência, nossa mente) e um objeto conhecido (a realidade, o mundo, os inúmeros fenômenos).

Não se sabe em que momento da história o homem passou de um ser “irracional” a racional, nem emque momento este descobriu suas habilidades e capacidades de modificar o mundo que o cerca. Segundo ZILLES URBANO (2006) Para S. Agostinho “A percepção sensível, na experiência cotidiana, nos engana, sendo insuficiente como base de nosso conhecimento, segundo ele, o conhecimento baseia-se na iluminação, numa captação de instruções dadas por Deus.”. Com isso, Santo Agostinho não vê apossibilidade de a experiência ser um método eficaz para se chegar ao conhecimento, pois retomando ao pensamento de Aristóteles em sua obra “METAFÍSICA” de que os sentidos nos enganam, pois, as sensações e percepções não são suficientes para percebermos o real, S. Agostinho argumenta que o conhecimento nada mais é que um dom enviado por Deus, sendo o homem simplesmente instruído para utilizá-lo de formaeficaz.
Contudo, avançando para um contexto pós Kantiano, percebe-se que a preocupação metafísica da filosofia foi ficando um pouco esquecida, enquanto que outras problemáticas que inquietam o ser humano foram surgindo e ocupando destaque no campo filosófico, a exemplo do fenômeno do Conhecimento, pois refletir sobre esta ferramenta do homem moderno levanta questionamentos, pressupondo dúvidas sobrea verdade objetiva, uma vez que segundo ZILLES URBANO (2006) atualmente a filosofia critica a possibilidade de o homem conhecer “as coisas em si”. Portanto, isto leva ao surgimento de duas correntes básicas e antagônicas na história da filosofia. Uma é o ceticismo, que diagnostica a impossibilidade de conhecermos a verdade. A outra é o dogmatismo, que define a possibilidade de conhecermos a...
tracking img