Venha ver o por do sol

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2899 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Conto N.º 1: O Noivo
Um rapaz de nome Miguel estava noivo, de casamento marcado, mas não se lembrava o dia, hora e com quem iria se casar no dia 12 de novembro numa quinta-feira.
Interrogou um fraque novo na sala. Viu que era intacto. Reviu um álbum de fotografias, analisou as amigas e se uma delas seria sua noiva. Lembrou uma canção de roda.
Frederico vem buscá-lo para ir e diz que ele jáestá atrasado. Ao chegar à igreja lembra mais mulhers que poderia se uma delas sua noiva.
"Mas já são quase nove horas, o casamento não é às dez? O café está aqui, o senhor não quer uma xícara.
-Agora não, depois.
"Depois", refletiu baixando o olhar para poltrona. Empalideceu. Via agora ao lado do armário um maleta - a maleta que usava para viagens curtas - cuidadosamente preparada, como se daí aalguns instantes devesse embarcar. Ajoelhou-se diante da pilha de roupas. "Mas para onde? Não sei de nada, não sei de nada!..." Examinou os pijamas envoltos em celofantes. Tocou de leve no chão de banho, nos shorts, nos sapatos de lona. Tudo novo, tudo pronto para uma curta temporada na praia, a lua-de-mel ia ser na praia, e quem ia se casar era ele"(p.12)
"- Mas, Miguel... você ainda está assim?Faltam só dez minutos, homem de Deus! Como é que você atrasou desse jeito? Descalço, de pijama!
Miguel baixou olhar! Frederico era seu amigo mais querido. Contudo, viera busca-lo para aquilo.
- Fico pronto num instante, já fiz a barba.
- E que barba, olha aí, cortou-se todo. Já tomou banho?
- Não.
- Ainda não?! Santo Deus. Bom, paciência, toma na volta que agora não vai dar tempo - exclamouFrederico empurrando-o para o quarto.
(...) Você está pálido, Miguel, que palidez é essa? Nervoso.
- Não.
- Acho que a noiva está mais calma.
- Você tem ai o convite?
- Que convite?
- Do casamento.
- Claro qu não tenho convite algum, que é que você quer fazer com o convite?
- Queria ver uma coisa...
- Que coisa? Não tem quer ver nada, Miguel, estamos atrasadíssimos, eu sei onde é a igreja,sei a hora, que mais você quer? Nunca vi um noivo assim - resmungou Frederico atirando o cigarro pela janela. - E esse laço medonho, deixa que eu faço o laço...
- Miguel entregou-lhe a gravata. Pensou em Vera! E se fosse a Vera? Verinha, a irmã caçula de Frederico, a mais bonita, a mais graciosa." (p.16)
"Miguel encarou. "Que estranho. Lembrei-me de tantas! Mas justamente nela eu não tinhapensado..."
Inclinou-se para beijá-la. 1964 (p.19)
Conto N.º 2: Natal na Barca
O narrador-personagem faz um passeio num barco sem querer lembrar por que estava naquela barca com pessoas humildes e de forte calor humano, crentes. "Era uma mulher com uma criança, um velho e eu."
Com essas pessoas, ele aprende ou desperta coisas que até então, não imaginava que existisse a fé:
"A caixa de fósforosescapou-me das mãos e quase resvalou para o rio. Agachei-me para apanhá-la. Sentindo então alguns respingos no rosto, inclinei-me mais até mergulhar as pontas dos dedos na água.
- Tão gelada - estranhei, enxugando a mão.
- Mas de manhã é quente.
Voltei-me para a mulher que embalava a criança e me observava com um meio sorriso. Sentei-me no banco ao seu lado. Tinha belos olhos claros,extraordinariamente brilhantes. Vi que suas roupas puídas tinham muito caráter, revestida de uma certa dignidade."
"- Seu filho?
- É. Está doente, vou ao especialista, o farmacêutico de Lucena achou que eu devia consultar um médico hoje mesmo. Ainda ontem ele estava bem, mas de repente piorou. Uma febre, só febre... - Levantou a cabeça com energia. O queixo agudo era altivo, mas o olhar tinha a expressãodoce. - Só sei que Deus não vai me abandonar."
"- É o caçula?
- É o único. O meu primeiro morreu o ano passado. Subiu o muro, estava brincado de mágico quando de repente avisou, vou voar!? 
"Como não batasse a pobreza que espiava pelos remendos da sua roupa, perdera o filhinho, o marido, e ainda via pairar uma sombra sobre o segundo filho que ninava nos braços. E ali estava sem a menor...
tracking img