Vector primario do dengue

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 30 (7379 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Mestrado em Ecologia e Gestão Ambiental Ecologia e Gestão de Pragas Profª. Teresa Rebelo

Vector Primário do Dengue

Maria Rita Magnoni – 38070

Lisboa/2009

1

SUMÁRIO

1 - INTRODUÇÃO .......................................................................................................................................... 2

2 - Aedesaegypti .................................................................................................................................. 3 2.1 - Ovo ............................................................................................................................................. 4 2.2 - Larva........................................................................................................................................... 5 2.3 - Pupa ............................................................................................................................................ 6 2.4 - Adulto.......................................................................................................................................... 7 3 - Aedes albopictus............................................................................................................................. 9
4 – DENGUE .................................................................................................................................................. 10

4.1 – Dengue no mundo.........................................................................................................................12 4.2 - Dengue nas Américas ...................................................................................................................13 4.3 - Dengue no Brasil............................................................................................................................14 4.4 - Prevenção e controle.....................................................................................................................17 5 – CONSIDERAÇÕES FINAIS .........................................................................................................19 6 - REFERÊNCIAS .......................................................................................................................... 20

2

1 - INTRODUÇÃO

O Aedes aegypti é o vector urbanoprimário da dengue, febre amarela e outras flaviviroses. Esta espécie tem evoluído em próxima aproximação com o homem e seu criadouro preferencial é a água limpa represada em recipientes artificiais como: latas vidros, caixas d’água e pneus entre outros (Forattini, 1965). A reprodução do Ae. aegypti nas zonas tropicais e subtropicais ocorrem em todo o ano e sua abundância pode estas associada ao regime dechuva (Micieli e Campos, 2003). O entendimento do padrão de dispersão é importante para o desenvolvimento de estratégias de controle efectivo para prevenção de epidemias de dengue e febre amarela (Gorrochotegui-Escalante et al., 2002). O Ae. aegypti é uma espécie bastante estudada devido a sua facilidade em ser criada e manipulada em insetário, e também por apresentar-se susceptível a infecçãopor diferentes patógenos como vírus, protozoários e nematodas (Knudson, et al., 1996), passíveis de serem transmitidos a outros animais. O Aedes albopictus Skuse é outro vector natural do dengue, principalmente em áreas rurais da Ásia. É uma espécie sem especialização ecológica, que poderia estar na transferência de vírus enzoóticos (endémicos entre os animais) para áreas habitadas, uma vez que podeservir de ponte entre ambientes urbanos e silvestres (Paupy et al., 2001). Nas regiões onde a distribuição de Ae. aegypti e Ae. albopictus se sobrepõe, observa-se que o Ae. aegypti predomina nas zonas urbanas onde se encontra uma alta concentração de pessoas, enquanto o Ae. albopictus predomina em periferias de cidades e localidades semi-rurais (Braks et al., 2004). Quando em coexistência, a...
tracking img