Vacinas, soros e antibioticos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1661 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola Estadual Adriano Jose Costa

Trabalho
De
Biologia

Nomes:
* Jean Pedro de Figueiredo
* Richard Breno
* John Kennedy
Turma: 2ª A
Vacina
As vacinas (que o nome advém de vaccínia, o agente infeccioso da varíola bovina, que, quando é injetado no organismo humano, proporciona imunidade à varíola no ser humano) são substâncias, como proteínas, toxina parte debactérias ou vírus, ou mesmo vírus e bactérias inteiros, atenuados ou mortos, que ao serem introduzidas no organismo de um animal, suscitam uma reação do sistema imunológico semelhante à que ocorreria no caso de uma infecção por um determinado agente patogênico, desencadeando a produção de anticorpos que acabam por tornar o organismo imune ou, ao menos mais resistente, a esse agente (e às doençaspor ele provocadas).
São geralmente produzidas a partir de agentes patogênicos (vírus ou bactérias), ou ainda de toxinas, previamente enfraquecidos. Ao inserir no organismo esse tipo de substâncias, fazemos com que o corpo combata o agente estimulando a síntese de anticorpos, que protegem o nosso organismo, além de desenvolver a chamada memória imunológica, tornando mais fácil oreconhecimento do agente patogênico em futuras infecções e aumentando a eficiência do sistema imune em combatê-lo. Quando o corpo é atacado por algum agente patogênico não chega a desenvolver a doença porque o organismo encontra-se protegido.
Os vírus se multiplicam sem controle (gerando doenças) em um organismo, se encontrarem terreno favorável para isso. As vacinas previnem doençascomo hepatite, febre amarela e sarampo.
Tal forma de medicação já existia o bastante tempo, tendo sido usada por chineses e povos do mediterrâneo, muitas vezes na forma de medicina popular. Louis Pasteur celebrizou-se pela formalização científica da vacina.

Soro Antiofídico
Os mais conhecidos soros são os antiofídicos. Eles são responsáveis por neutralizar os efeitos tóxicos doveneno de animais peçonhentos. Contra picada desses animais o soro antiofídico é o único tratamento eficaz. Ele é distribuído por todo o país através do Ministério da Saúde e disponibilizados em Serviços de Saúde. Para cada tipo de veneno há um soro específico, por isso é importante identificar o animal agressor e se possível levá-lo, mesmo morto, para facilitar o diagnóstico e o tratamento.
Aprodução do antiofídico:
A primeira etapa da produção de soros antiofídicos é a extração do veneno (peçonha) de animais como serpentes, escorpiões, aranhas ou taturanas. Após a extração, a peçonha é submetida a um processo chamado liofilização, que desidrata e cristaliza o veneno. São as etapas da produção do soro:
1. O veneno liofilizado (antígeno) é diluído e injetado no cavalo, emdoses adequadas. Esse processo leva 40 dias e é chamado hiperimunizacão.
2. Após a hiperimunizacão, é realizada uma sangria exploratória, retirando uma amostra de sangue para medir o teor de anticorpos produzidos em resposta às injeções do antígeno.
3. Quando o teor de anticorpos atinge o nível desejado, é realizada a sangria final, retirando-se cerca de quinze litros de sangue de um cavalo de500 Kg em três etapas, com um intervalo de 48 horas.
4. No plasma (parte líquida do sangue) são encontrados os anticorpos. O soro é obtido a partir da purificação e concentração desse plasma.
5. As hemácias (que formam a parte vermelha do sangue) são devolvidas ao animal, através de uma técnica desenvolvida no Instituto Butantã, chamada plasmaferese. Essa técnica de reposição reduz os efeitoscolaterais provocados pela sangria do animal.
6. No final do processo, o soro obtido é submetido a testes de controle de qualidade:
• atividade biológica - para verificação da quantidade de anticorpos produzidos;
• esterilidade - para a detecção de eventuais contaminações durante a produção;
• inocuidade - teste de segurança para o uso humano;
• piroxênio - para detectar a presença dessa...
tracking img