Uso de epi

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2765 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Causas da Resistência ao Uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI). Resistance Causes to the Use of Personal Protective Equipment (PPE)
PELLOSO, Eliza Fioravante*; ZANDONADI, Francianne Baroni**.

*Arquiteto e Urbanista – Universidade Católica de Santos E-mail: eliza@elizapelloso.com.br **Professora da pós-graduação em Engenharia e Segurança do Trabalho – Universidade de Cuiabá/SinopAeroporto – Mestre em Saúde Coletiva E-mail: franbaronizandonadi@hotmail.com

Resumo: Este trabalho busca identificar quais são os principais motivos que levam os trabalhadores da construção civil a deixarem de usar o Equipamentos de Proteção Individual (EPI) durante a execução de suas atividades. A partir do conhecimento destes fatores, ações poderão ser tomadas para minimizar as possibilidade deacidentes durante o trabalho. Para a realização deste estudo foram feitas uma pesquisa bibliográfica em veículos especializados disponíveis, que indicam o uso de EPI pelos trabalhadores da construção civil, e uma pesquisa de campo onde foram utilizadas entrevistas semi-estruturadas para obtenção dos relatos. Constatou-se que os programas de gestão da segurança ainda são falhos neste tipo deindústria, não só por questões sócio-culturais dos trabalhadores, mas também pela falta de programas mais ativos, como treinamentos constantes para a conscientização dos trabalhadores sobre a importância destes equipamentos exigidos por lei.

Palavras-chave: Equipamento de Proteção Individual (EPI), construção civil, programas de gestão de seguraça, ergonomia.

Abstract: This work aims to identifywhat are the main reasons which lead construction workers not to use Personal Protective Equipment (PPE) during the performance of their activities. Starting from the acquaintance of these issues actions can be taken to minimize the accident possibilities during work. To accomplish this work, research was performed at specific available data base which indicates the use of PPE by constructionworkers and a field research where semi-structured interviews were done to obtain the reports. It concluded that safety programs still have problems in this kind of industry not only because social/cultural issues from the workers but also because of the need of more active programs such as constant training to aware workers the importance of these equipment enforced by law.

Key words: PersonalProtective Equipment (PPE), construction, safety programs, ergonomic.

Introdução No ramo das indústrias, a construção civil se difere das demais, pois depende quase que exclusivamente da sua mão-de-obra. Este fato deveria contribuir para uma melhor gestão de segurança nas empresas, porém é um dos setores industriais com maior índice de acidentes. O equipamento de proteção individual (EPI), um dositens de segurança do trabalho, tem seu uso banalizado por falta de conhecimento das normas e legislações. Poucos percebem a complexidade que envolve a escolha do EPI, assim sendo, ocasionam problemas de aceitação por parte dos trabalhadores e gastos desnecessários às empresas. A qualidade e ergonomia desses equipamentos também são fundamentais para o bom desempenho das funções dos trabalhadores,além das instruções corretas de uso. A pesquisa teve por objetivo identificar quais são os principais motivos que levam os trabalhadores da construção civil a deixarem de usar o Equipamentos de Proteção Individual (EPI) durante a execução de suas atividades, bem como analisar os equipamentos de segurança em relação ao trabalhador e as medidas que podem ser adotadas para melhor desempenho doequipamento e trabalhador como um todo. A indústria da construção civil é um dos setores que mais tem acidentes de trabalho. Segundo o Anuário Estatístico da Previdência Social – Ano 2009 (Anuário Brasileiro de Proteção,

2011) o setor ocupa o terceiro lugar no ranking de acidente de trabalho. Este setor possui inúmeros fatores que expõem os trabalhadores aos riscos de acidentes. Araújo (2003) cita...
tracking img