União européia e mercosul

Resumo

Mercosul e União Européia (UE) representam duas das mais importantes iniciativas de integração regional da atualidade. O processo de construção institucional que culminou com o estabelecimento da UE pelo Tratado de Maastricht, de 1992, caracterizou-se pelo êxito em transformar conflitos potenciais em força cooperativa, o que se pode notar pela crescente abrangência das relações entre ospaíses do bloco europeu, o qual se constitui gradualmente mais forte e coeso. Nesse contexto, a experiência européia pode ser muito útil à solidificação do Mercosul – o que já se verifica, por exemplo, por meio dos bons resultados dos projetos de cooperação entre as instituições em análise e também pelo fato que a evolução mercosulina se tem processado na mesma direção daquela da UE,compreendendo muito mais do que aspectos meramente comerciais.

Palavras-chave: União Européia. Mercosul. Cooperação.

Índice

Introdução página 3

A construção da União Européia página 4

A construção do Mercosulpágina 7

As relações entre União Européia e Mercosul página 9

A evolução do Mercosul e sua relação com União Européia página 11

Conclusãopágina 13

Bibliografia página 14

Introdução

MERCOSUL e União Européia (UE) representam duas das mais importantes iniciativas de integração regional da sociedade internacional contemporânea. Este compreende quatro países sul-americanos – Argentina, Brasil, Paraguai eUruguai –, ao passo que aquela abrange vinte e sete Estados-membros – Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia e Suécia. Apesar de seus aspectos originais, o processo deestabelecimento e construção do MERCOSUL em muito se assemelha ao da UE, o qual, a princípio, lhe serviu de inspiração. O avanço dessa institucionalização regional no Cone Sul pode, ainda hoje, aproveitar muitas das lições emanadas do desenvolvimento do bloco europeu – o mais exitoso e aprofundado dos processos de integração da atualidade.

O regionalismo econômico internacional é, juntamente com aglobalização, uma das características de maior destaque do cenário internacional do pós-Segunda Guerra Mundial. Apesar de se oporem em certa medida – levando-se em consideração que a regionalização apresenta caráter centrípeto e político, ao passo que a globalização é manifestação eminentemente centrífuga e microeconômica – tais processos não são antagônicos; em verdade, tendem mais a se reforçar doque a se contrapor. O estabelecimento da União Européia e do Mercosul refletem, de certo modo, tais fenômenos.

Apesar de que, no princípio, as questões comerciais representam o foco das agendas dos processos de integração, a evolução dos mesmos leva, em geral, à abrangência de outros aspectos. Como afirmam Deblock e Brunelle (1996), quaisquer que sejam as motivações de ordem econômica queanimam os atores estatais, os acordos regionais sempre responderam a propósitos que vão além da esfera estritamente econômica, sobretudo quando têm por objetivo a criação de blocos econômicos.[1]

O Mercosul é uma área com a qual a União Européia apresenta grande proximidade política e cultural, sendo também a sub-região latino-americana da qual a UE representa o principal parceiro, tanto no...
tracking img