UMA GRA A QUE POUCOS DESEJAM CAIO F BIO Texto Formatado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 75 (18519 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2015
Ler documento completo
Amostra do texto
UMA GRAÇA QUE POUCOS DESEJAM
um presente meu para você
   
 
 







 
 
 
 
Copiei este texto do site do querido pastor Caio Fábio. Está formatado e organizado para impressão e uma boa leitura confortável aos olhos. Deus te ilumine, boa leitura!
Autor fala desta obra:
O texto que segue foi fruto de uma angustia em meu coração.  
Desde 1981 que eu sofria por ver a falta de visão de cooperaçãono Evangelho por parte dos cristãos brasileiros.  
O que eu via então já era o que hoje se tornou uma realidade esmagadora.  
Ou seja:  
Os que dão muito (ou tudo o que têm), em geral são os que não podem dar, mas que dão, mesmo não tendo. Posto que assim procedem em razão do medo que lhes é imposto pelos cobradores de impostos-dízimos ou de impostos-taxa-de-segurança-espiritual: os “oficiais domedo”.
Também via que os que podem nada dão, ou dão menos do que seus serviçais domésticos doam nos cultos que freqüentam.  
Entre todos, os ricos e a classe média estável são os que menos dão, especialmente se tais pessoas freqüentam ou trazem a cultura das chamadas “igrejas históricas”.  
Assim, em 1986, durante o Congresso Mundial de Evangelização promovido pela Associação Billy Graham, emcujo evento eu estava também falando, aproveitei o que naquele tempo era para mim uma raridade, tempo, e escrevi de duas sentadas o texto que segue. 
Escrevi a mão no hotel onde estava hospedado. Os cerca de 500 brasileiros que estavam lá haverão de lembrar tal fato. 
Hoje, vendo o mundo se acabar bem diante de nossos olhos, sendo testemunha de tudo o que antes fora predito pelos profetas, pelosapóstolos e pelo Senhor, assusto-me com a indiferença do chamado povo de Deus em relação ao que está acontecendo.  
Indiferença à hora dramática de nossa presença na História. Indiferença ante a calamidade que está às portas. Indiferença ante o Juízo que se aproxima. Indiferença para com a carência humana do Evangelho.  
Indiferença, cinismo, mornidão, deboche, escárnio, irreverência, morte daesperança — é o que vejo.
 Ora, em meio a tudo isso é chocante ver a morte de todos os compromissos, sonhos, e visões do Evangelho no coração de quase todos.  
Escândalo após escândalo relacionado a dinheiro e sua gestão no ambiente da chamada “fé”, aumenta o buraco de indiferença, cinismo, mornidão, deboche, escárnio, irreverência, morte da esperança. Assim, quem já estava morrendo na exultação daesperança, aproveita o embalo e “chuta o balde” de vez. Desse modo se torna um ser impermeável.   
Mas eu creio que o poder da consciência e do entendimento convertido ao Evangelho, hão de gerar seus próprios filhos.
Desse modo, disponho o texto aqui no site, e que fala acerca do tema do significado do dinheiro na espiritualidade comunitária do N.T. E faço isto mesmo sabendo que o texto foi produzido notempo em que eu tinha apenas 31 anos, e escrevia sem ajuda na escrivaninha de um hotel.
 Leia o texto com todo carinho, pois é com muito amor e esperança que eu o posto aqui.
 Nele, que sendo rico se fez pobre para que Nele nos tornássemos ricos de toda Graça, Caio 
16/04/07 Lago Norte, Brasília   
Escrito na Holanda, em 1986, durante o Congresso de Evangelização Mundial, patrocinado por BillyGraham.
DEDICATÓRIA 
Aos que não deixaram o abuso matar a generosidade e a capacidade de dar com amor e alegria!


UMA GRAÇA QUE POUCOS DESEJAM 
Nós aprendemos desde cedo que a graça é favor imerecido. É algo que está para além das posses de nossas virtudes. Justamente por essa razão a graça é de graça.
No entanto, na nossa idéia do que seja graça, enquadram-se apenas as felizes, fáceis saborosas ecarismáticas manifestações das bênçãos de Deus sobre nós (Ef. 1:3). Nunca pensamos em graça como privilégio de sofrer.
Todavia, também esta dimensão está presente na teologia do conceito de graça:
“Por que vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo, e não somente crerdes nele...” (Fp. 1:29).
Sem dúvida tal conceito não tem nada de convidativo e empolgante em si mesmo. Nosso mundo é, a...
tracking img