As práticas de Educação em saúde, eram orientadas por um discurso biologista, que reduzia a
determinação do processo saúde-doença à dimensão individual, não assimilando
as implicações das políticas sociais e das condições de vida e de trabalho para a
saúde. O discurso falava que os problemas de saúde eram decorrentes da nãoobservância das normas de higiene pelos indivíduos. Este discurso predominou no campo da educação em saúde durante as décadas seguintes, podendo ser encontrado ainda hoje como orientador de práticas educativas.
A partir da década de 1940, algumas transformações começam a ser verificadas no campo da educação em saúde. Em 1960 houveum fato que a Medicina Comunitária, verifica-se um apelo
à participação da comunidade para a solução dos problemas de saúde nela vivenciados.
As práticas de educação em saúde comunitárias falaram então que as comunidades seriam as responsáveis pela resolução de seus problemas de saúde devendo, para isto, ser conscientizadas. Osdeterminantes sociais desses problemas, contudo, não eram levados em consideração.
Em meio dessas mudanças, houve o regime militar, no qual trouxe alguns tipos de problemas para as transformações na saúde. O campo da educação em saúde permaneceu
inexpressivo em virtude da limitação dos espaços institucionais para sua realização.Esse
regime trouxe muita insatisfação das pessoas, e resultou a organização de movimentos sociais que reuniram intelectuais e populares para protestar.
Dentre os movimentos que tiveram início na década de 1970 e que buscavam romper com a tradição autoritária e normalizadora da relação entre os serviços de saúde e a população,destaca-se o movimento da Educação Popular em Saúde. Este movimento foi precipitado pela
insatisfação de alguns profissionais de saúde com os serviços oficiais; dirigindose para as periferias dos grandes centros urbanos e regiões rurais, aproximaram-se, assim, das classes populares e dos movimentos sociais locais. A [continua]

Ler trabalho completo

Citar Este Trabalho

APA

(2012, 05). Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. TrabalhosFeitos.com. Retirado 05, 2012, de http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Um-Modelo-De-Educa%C3%A7%C3%A3o-Em-Sa%C3%BAde/243139.html

MLA

"Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial" TrabalhosFeitos.com. 05 2012. 2012. 05 2012 <http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Um-Modelo-De-Educa%C3%A7%C3%A3o-Em-Sa%C3%BAde/243139.html>.

MLA 7

"Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial." TrabalhosFeitos.com. TrabalhosFeitos.com, 05 2012. Web. 05 2012. <http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Um-Modelo-De-Educa%C3%A7%C3%A3o-Em-Sa%C3%BAde/243139.html>.

CHICAGO

"Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial." TrabalhosFeitos.com. 05, 2012. Acessado 05, 2012. http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Um-Modelo-De-Educa%C3%A7%C3%A3o-Em-Sa%C3%BAde/243139.html.