.Um estudo sobre o processo de inovação em redes de cooperação de micro e pequenas empresas brasileiras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7796 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia

1

Um Estudo Sobre o Processo de Inovação em Redes de Cooperação de Micro e Pequenas Empresas Brasileiras
Lucas di Benedetto Fedrizzi2; Peter Bent Hansen2; Geanderson de Souza Lenz1,2
1: Universidade de Caxias do Sul 2: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

RESUMO
Com a crescente competitividade e a expansão de novastecnologias no cenário atual, principalmente as de base micro-eletrônica, as organizações estão tendendo a trocar mais informações e a organizar-se em forma de redes. Entre estas redes de empresas, destacam-se as redes horizontais de cooperação de micro e pequenas empresas. Tendo em vista a crescente importância deste assunto nas últimas décadas, o principal objetivo deste trabalho é tratar otema da inovação em redes interorganizacionais horizontais. Para tanto, primeiramente realizou-se uma revisão bibliográfica de caráter teórico-conceitual em forma de pesquisa exploratória. Através desta pesquisa foi proposto um quadro contendo os elementos fundamentais e as dimensões do processo de inovação em redes de cooperação. Após a revisão bibliográfica, foi elaborado um instrumento de pesquisade caráter qualitativo aplicado a um estudo de caso múltiplo, com abordagem exploratória. Os principais resultados obtidos através da pesquisa realizada indicam que a principal forma de inovação é através da troca de informações entre os agentes, onde ocorrem idéias e troca de experiências. As principais inovações geradas nas redes pesquisadas são novos sistemas de compras e marketing emconjunto, tendo em vista a redução de custos e um maior poder de barganha frente aos fornecedores. Palavras-Chave: Redes de cooperação. Inovação em redes. Dimensões. Processo de inovação.

1 Introdução No cenário competitivo atual, as empresas buscam adotar uma política voltada para a diferenciação e inovação constante de seus serviços e produtos. Com a globalização e a expansão tecnológica, o acesso àsinformações e a facilidade de troca de experiências entre os agentes econômicos é cada vez mais visível no mundo nos negócios. Tendo em vista este cenário mundial, as empresas necessitam se aperfeiçoar cada vez mais para satisfazer as necessidades dos clientes e serem competitivas no mercado. O surgimento dos arranjos entre empresas, o compartilhamento de informações, e a necessidade deintercâmbio de conhecimentos estimulou as micro, pequenas e médias empresas (MPME’s) a adotar um sistema onde haja cooperação com outras empresas congêneres. A aliança das MPME’s em forma de redes possibilita e influencia a troca de conhecimento, compartilhamento de informação, mútuo aprendizado, melhor adaptação às mudanças e inovação. Coletivamente, as firmas integrantes da rede têm maior capacidade deadaptar-se às mudanças (SABEL, 1991; SAXENIAN, 1994). O arranjo em redes pode constituir uma resposta para diminuir as incertezas, reduzir os custos e riscos de investimentos, aumentar a flexibilidade e especialização das empresas, possibilitar marketing compartilhado e ampliar as dimensões do mercado. Em sua maioria, as pequenas e médias empresas não possuem recursos e tecnologia suficientes paraatender uma

SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia

2

parcela considerável do mercado. Através das redes de cooperação as empresas passam a ter maior competitividade e capacidade de inovar. Empresas que passam a fazer parte de redes devem estar preparadas para uma possível alteração de seus processos. Neste aspecto a coordenação é fundamental para o sucesso da empresa narede, passando de um sistema bilateral, onde o fluxo de informação ocorre apenas dentro da empresa (feedback), para um sistema multilateral, com outras empresas cooperadas fazendo parte do fluxo de informação. Assim, nas redes é fundamental que haja uma política voltada para a inovação, onde gestores, diretores e funcionários participem dando idéias e sugestões de melhorias para o processo de...
tracking img