Um caso real de psicopatia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2321 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade de Ciências Médicas e Paramédicas Fluminense






CURSO DE PSICOLOGIA






DAVID PECIS, JAQUELINE CORREA, MARCELO RODRIGUES, GLAUCE, LEANDRO E SÉRGIO.











CASO REAL DE PSICOPATIA, Edward Theodore Gein.




















Nilópolis

2010




Faculdade de Ciências Médicas e Paramédicas FluminenseCURSO DE PSICOLOGIA






DAVID PECIS, JAQUELINE CORREA, MARCELO RODRIGUES, GLAUCE, LEANDRO E SÉRGIO.








CASO REAL DE PSICOPATIA, Edward Theodore Gein.









Trabalho apresentado como critério parcial de avaliação da disciplina de Psicopatologia Forense.
Professor: Carlos Eduardo MedawarNilópolis

2010
[pic]
Edward Theodore Gein, mais conhecido como Ed Gein
(27 de agosto, 1906 - 26 de julho, 1984)
APRESENTAÇÃO
Edward Gein mais conhecido como Ed Gein, nasceu em 1907 na cidade de Plainfield, Winsconsin EUA.Ed tem o perfil típico de um serial killer, foi espancado por sua mãe na infância que o ensinou que sexo era um pecado. Depois que seus pais e irmãos morreram, Edcontinuou morando sozinho em sua casa, sendo assombrado pelo fantasma de sua mãe. Ele trancou o quarto dela e não o alterou. Depois de algum tempo, Ed começou a desenvolver um interesse doentio pela a anatomia feminina e logo dedicou-se a desenterrar corpos de mulheres para mutilá-los e satisfazer suas fantasias relativas a necrofília e canibalismo. Guardava as cabeças e dissecava os órgãos,arrancava cuidadosamente a pele dos corpos e colocava sobre um manequim feminino. Às vezes, ele mesmo vestia a “roupa” feita de pele e dançava alegremente pela casa! Colocava órgãos genitais femininos em calcinhas nas quais vestia. Mais tarde, começou a matar mulheres da idade de sua mãe a pedido da própria, que já havia falecido. Ele ouvia e via sua mãe, que o incitava a matar. A primeira vítima foi MaryHogan, dona do bar que ele freqüentava, em dezembro de 1954. A segunda vítima foi Bernice Worden dona da loja de ferragens que ele costumava freqüentar, em novembro de 1957. O corpo de Bernice foi encontrado despido e decapitado com um corte que ia da vagina até o pescoço, pendurado de cabeça para baixo num gancho de açougueiro e amarrado com cordas. Seus intestinos e órgãos foram encontradosdentro de uma caixa e seu coração estava em um prato na sala de jantar.Foram encontrados mais “artefatos” bizarros de Ed: “máscaras” da pele de dez cabeças humanas penduradas no quarto, as quais ele vestia; a pele do torso de uma mulher foi transformado em um tapete; um cinto feito de mamilos; uma cadeira e algumas lâmpadas forradas com pele humana; alguns crânios usados como pratos de sopa; uma mesasustentada por ossos de canela humana. A geladeira estava repleta de órgãos humanos, em cima da cama havia pendurado uma cabeça humana. Os policiais também descobriram uma caixa de sapatos cheia de genitálias femininas conservadas em sal, inclusive a de sua mãe, que estava pintada de prateado.Ed confessou que gostava de se vestir com as roupas e máscaras confeccionadas de pele humana e fingir sersua própria mãe. Havia mais quinze corpos espalhados por sua fazenda na noite em que foi preso. Ed disse que não se lembrava, ao todo, quantos assassinatos havia cometido.

A mãe de Ed Gein

O pai de Gein bebia muito e também era subjugado pela esposa. Em certa época, apenas a mãe trabalhava. Ela conseguiu juntar algum dinheiro e mudou-se com a família para Plainfield, uma pequena cidade nointerior do Estado de Wisconsin, longe dos perigos da cidade grande. Estabeleceram-se em uma propriedade na zona rural, perto da cidade.
Os colegas da escola de Gein zombavam dele, por ser tímido, e chamavam-no de “afeminado”. Não tinha amigos e, quando parecia iniciar uma amizade, sua mãe cortava. Assim, naquela casa, aqueles três homens viviam sob o império daquela mulher.
Em 1940, morre o...
tracking img