UERJ

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2868 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de março de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Relatório de Microbiologia da 2ª. Aula Prática.
Baseado: na Aula 5 – Coloração de esfregaço pelo método de Gram, do Módulo 1 de Microbiologia,
Volume 1, 2ª. Edição.
Aluna: Paula Regina do Nascimento.
Matrícula: 10214020353.
Curso: Ciências Biológicas – BIO.
Polo: Duque de Caxias.
Objetivos Gerais:

Avaliar a diferença estrutural das bactérias com componentes diferenciados, quando asmesmas
são coradas através do método de Gram, dessa forma ver o que pode acontecer quando um corante
hidrofílico se transforma em hidrofóbico.
Analisar o diferencial através da técnica de coloração de Gram, das bactérias em seus envoltórios
de superfície.
Materiais:
1 - Hastes flexíveis com ponta de algodão hidrófilo (cotonetes);
2 -. Lâminas de vidro para microscopia;
3 - Canetapara escrever em vidro;
4 - Solução de cristal violeta constituída por 1g de cristal violeta, 10mL de álcool a 95º GL, 2g de
fenol e 100mL de água destilada;
5 - Solução de iodo, conhecida como solução de Lugol (J.G.A. Lugol, *1786-†1851, médico
francês que formulou a solução). É constituída por 1g de iodo metálico, 2g de iodeto de potássio e
300mL de água destilada;
6 - Álcool a 95º GL;
7- Solução de fucsina constituída por 30mg de fucsina básica, 10mL de álcool a 95º GL, 500mg de
fenol e 90mL de água destilada;
8 - Pia com torneira;
9 - Recipiente ou suporte descartável para recolher os resíduos de corante (lata de leite em pó ou
equivalente);
10 - Frasco com água;
11 - Bico de Bunsen ou lamparina a álcool;
12 - Papel-toalha;
13 - Microscópio óptico com lente objetivacom capacidade de aumento de 100 vezes;
14 - Óleo para imersão ou óleo mineral.
15 – Utilizamos um copo como recipiente de descarte dos materiais como: o papel-toalha e os
cotonetes utilizados.
Metodologia:
Vi Lulu a alimentar a furiosa arara. (Sequência de reagentes)
A tutora fez uma mistura de: violeta, água e Lugol no início da aula prática, mais não chegamos a
visualizar o resultadoesperado, talvez tenha ocorrido alguma falha o processo de mistura do experimento ou até mesmo pelo fato do corante está um pouco antigo.
O violeta não se envolve com o lipídio, forma cristais hidrofólico ao se misturar com o Lugol.
O álcool desestrutura a estrutura lipídica.
A fucsina é um fixador contra ( Vermelho – Róseo).
Foram utilizadas duas amostras de material biológico dos sulcosgengivais na lâmina de vidro, a
minha e a de uma outra colega.
Depois passamos duas vezes a lâmina na chama de uma vela pela face oposta ao esfregaço pela
ponta da chama, bem rápido e com cuidado para não torrar o esfregaço, para deixar a lâmina
levemente aquecida, para fixar o material das amostras.
Vi Lulu a alimentar a furiosa arara. (Sequência de Reagentes)
1º. Já com o recipientepara descartar o material líquido (a lata de Nescau no meu caso) que também
foi utilizada para nivelar a lâmina, passamos o reagente violeta que a tutora havia preparado
anteriormente em toda a lâmina, esperamos por 60 segundos e passamos água na lâmina para tirar o
excesso.
2º. Passamos o Lugol em toda lâmina, esperamos 60 segundos e novamente passamos água na
lâmina para tirar oexcesso.
3º. Passamos álcool em toda a lâmina, esperamos 10 segundos e mais uma vez passamos água na
lâmina só que dessa vez com mais intensidade para tirar o excesso do álcool.
4º. Passamos fucsina, esperamos por 30 segundos e passamos água mais uma vez na lâmina e
esperamos secar.

Com a lâmina seca, posicionamos a mesma no microscópio para a analise.
Discussão:
Visualizar a diferençaestrutural das bactérias com os componentes diferenciados, após as mesmas
serem coradas pelo método de Gram.
Conclusão:
O método de coloração foi desenvolvido, pelo patologista dinamarquês Hans Christian Joachim
Gram. Esse método que hoje em dia é utilizado em fins de classificação de micróbios, antes foi
publicado como método de coloração de bactérias na revista científica Fortschritte der...
tracking img