Tudo bem ser diferente

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2423 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
TUDO BEM SER DIFERENTE

• - Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao
Curso de Graduação em Pedagogia – Licenciatura – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para
Conclusão de Curso.




Elaine Dias Heber Machado
Sandra Regina Pinheiro Favaro FerrazRESUMO
Este trabalho apresenta os elementos que envolvem o tema da Inclusão obtidos em pesquisa bibliográfica bem como descreve as atividades realizadas com crianças de Educação Infantil e Educação Fundamental com o intuito de levar os alunos a interiorizar comportamentos inclusivos.
Palavras-chave: Diversidade. Inclusão.























INTRODUÇÃOPela Declaração de Salamanca:

- toda criança tem direito fundamental à educação, e deve ser dada a oportunidade de atingir e manter o nível adequado de aprendizagem,
- toda criança possui características, interesses, habilidades e necessidades de aprendizagem que são únicas,
- sistemas educacionais deveriam ser designados e programas educacionais deveriam ser implementados no sentido de selevar em conta a vasta diversidade de tais características e necessidades,
- aqueles com necessidades educacionais especiais devem ter acesso à escola regular, que deveria acomodá-los dentro de uma Pedagogia centrada na criança, capaz de satisfazer a tais necessidades,
- escolas regulares que possuam tal orientação inclusiva constituem os meios mais eficazes de combater atitudes discriminatóriascriando-se comunidades acolhedoras, construindo uma sociedade inclusiva e alcançando educação para todos; além disso, tais escolas provêem uma educação efetiva à maioria das crianças e aprimora a eficiência e, em última instância, o custo da eficácia de todo o sistema educacional. FONTE: Declaração de Salamanca, Espanha, entre 7 e 10 de junho de 1994)

Diante do exposto, é imperativo educarnossos alunos – que serão os multiplicadores do comportamento inclusivo junto à comunidade para que interiorizem colaborar para que todos possam ter direito a aprender e a crescer.

Desse modo, este artigo se refere ao estudo de como levar esta proposta de levar os alunos a respeitar as diferenças.

Reconhecendo a relevância do tema e compreendendo que a escola está passando por umperíodo de transição e se transformando para que todos passem a ter o direito garantido por lei a um lugar numa classe regular, exigindo dessa maneira a construção de uma nova postura profissional e o aprofundamento do conhecimento científico que caracteriza o assunto, entendo que o professor assume o papel de pilar dessa mudança e intensifica a importância que ocupa na sociedade.

Concordandocom BALBINOTTI (2008),quando diz que:

“mudar mentalidades, superar o preconceito e combater a discriminação é tarefa da sociedade como um todo. Mas a escola de uma sociedade plural como a brasileira precisa contribuir de modo significativo. A escola deve ensinar os brasileiros a serem brasileiros. O processo educacional deve contribuir desenvolvendo a transformação deatitudes e valores, formando novos comportamentos cotidianos para a superação da discriminação. Mas trabalhar com diversidade cultural em uma sociedade marcada pela diversidade não é tarefa fácil. Exige ampliação e consciência da escola, do professor e do aluno: a minha realidade é apenas parte do mundo complexo. Exige ética, respeito, valorização das diferenças.”


E pela fundamentação de MARTINS(2001):
“o respeito às diferenças não tem sido uma prática no nosso cotidiano, mas, depois de cinco séculos de civilização tropical, descobrimos que a igualdade passa pelo respeito às diferenças ideológicas, às concepções plurais de vida, de pedagogia, às formas de agir e de ser feliz dos gêneros humanos. O educador, pois, deve ter a preocupação é reeducar-se de forma contínua...
tracking img