Trabalhos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1414 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Diversidade nas organizações

Que todos somos diferentes já sabemos, mas qual a importância de lidar com essas diferenças? A figura que mais deve se preocupar com isso dentro das organizações é o gestor, que precisa reconhecer as diferenças para tirar proveito delas extraindo o melhor desempenho de seus funcionários.
Para começar a analisar essas diferenças é necessário entenderque existem dois tipos de diversidades, o que na verdade são níveis que as tornam superficiais ou profundas.
Diversidade em nível superficial: podem levar os funcionários a enxergarem uns aos outros através de estereótipos, são as chamadas características biográficas. Podemos entender como características deste nível: idade, gênero, etnia, religião, deficiência, orientação sexual, enfim o queé perceptível no primeiro contato entre as pessoas.
Diversidade em nível profundo: na medida em que as pessoas vão se conhecendo, ficam menos preocupadas com as diferenças demográficas, pois percebem que possuem características mais importantes em comum como personalidade, valores e preferências de trabalho que se tornam progressivamente mais importantes para determinarem similaridades oudiferenças cruciais entre elas.
As características biográficas dentro de uma organização são importantes e relevantes porque são o fator prévio de como a maioria dos funcionários se distinguirá. Analisando cada uma delas podemos verificar que há interferência na produtividade, absenteísmo, rotatividade, desvios de condutas, comportamentos e satisfação dos funcionários, o que pode atéocasionar conflitos internos entre eles, e a possível insatisfação dentro da empresa.
No Brasil, a mudança mais significativa na força de trabalho, na ótica demográfica, foi o rápido aumento no número de mulheres empregadas a partir da segunda metade do século XX.
Nos anos 1970, as mulheres representavam perto de 30% da população brasileira economicamente ativa. Hoje, na década dos anos2000 esse número ronda os 45%. Isso obviamente impacta tanto na sociedade como dentro das organizações que precisaram e ainda precisam se adequar para saber como lidar com esse maior número de mulheres.
Por tudo isso, a organização, através do papel do gestor precisa estar preparada para saber lidar com as diferenças e delas extrair o máximo possível de aproveitamento. Diferenças existem esão necessárias dentro da empresa e o conhecimento dessas diferenças é crucial para aumentar a chance de um funcionário desempenhar suas funções profissionais de modo satisfatório.
Porém, o erro na sociedade e consequentemente na maior parte das empresas é muitas vezes encarar as diferenças como um fator discriminatório e não agregador.
Um exemplo disso é que, de acordo com uma pesquisaapenas 38% dos trabalhadores brasileiros afirmaram que as empresas onde trabalham oferecem benefícios semelhantes para homo e heterossexuais.
Por isso, as empresas devem usar não as características biográficas para administrar as diferenças e designar trabalhos, como também levar em conta as habilidades profissionais dos funcionários.
As habilidades são classificadas entre físicas eintelectuais. As intelectuais são aquelas necessárias para o desempenho de atividades mentais, como pensar, raciocinar e resolver problemas.
As habilidades físicas são a capacidade de desempenhar atividades que demandam resistência, destreza, força e características similares.
Na maioria das sociedades dá-se um valor alto a inteligência. Em outras palavras as habilidades cognitivassão capacidades que fazem o indivíduo competente e que lhe permitem interagir simbolicamente com seu meio ambiente. Essas habilidades formam a estrutura fundamental do que se poderia chamar de competência cognitiva da pessoa humana permitindo discriminar entre objetos, fatos ou estímulos, identificar e classificar conceitos, levantar/construir/resolver problemas e aplicar regras.
As sete...
tracking img