Trabalhos feitos da internet

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1603 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
Centro ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA
CENTRO DE ESTUDOS DE FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO

Lesões tendíneas

Lesões no esporte

Profa. Dra. Marilia dos Santos Andrade

Lesões tendíneas

Lesões musculares
Lesões

• Tenosinovite – inflamação da bainha sinovial
que envolve o tendão.

• Contratura – falência do músculo em relaxar.
Acúmulo de ácido láticocausa fadiga
(inabilidade de produzir contração máximas e
relaxamento máximos).

• Paratendinite – inflamação e espessamento
da bainha paratendão dos tendões que não
tem bainha sinovial.
• Tendinite – inflamação do tendão.
• Tendinose – degeneração do tendão devido
a atrofia (envelhecimento, microtrauma,
comprometimento vascular).

• Espasmo muscular – contração muscular
reflexa queacompanha lesão.
• Contusão muscular – força externa suficiente
para causar dano muscular.

1

Lesões musculares
Lesões

Lesões musculares
Lesões

• Rutura – pode ser causada por estiramento
ou por trauma direto. Pode ser dividida em 3
graus.

• Dor muscular tardia (delayed onset muscle
soreness - DOMS)

• 1º grau – lesão estrutural mínima, hemorragia
mínima, resolução precoce.• Disfunção inflamatória secundária a uma
lesão muscular caracterizada por: edema,
músculo endurecido, dor e limitação da ADM.

• 2º grau – rompimento parcial geralmente na
junção miotendínea acompanhada de dor,
hemorragia e perda de função.
• 3º grau – rutura severa, hemorragia obvia,
edema, geralmente rutura completa e
palpável.

Lesões musculares

Lesões musculares

2

Lesãoligamentar
• Pode ser rutura ou estiramento. Pode ser
dividida em 3 níveis de lesão.
• 1º grau – poucos dias.
• 2º grau – até 6 semanas
• 3º grau – no mínimo 6 - 8 semanas até
indefinido.

Lesão ligamentar
Lesão

Lesão capsular
• Capsulite (inflamação da cápsula
articular)
• Estiramento (luxação articular)

Lesão capsular

3

Risco de lesão
Intrínsecos







•Encurtamento muscular
Fraqueza muscular
Desequilíbrio muscular
Mau alinhamento
Instabilidade articular (diferente de hipermobilidade)
Sexo
Idade
Somatotipo

Risco de lesão

PRICER (lesão aguda)
• P – Protection – restringir a atividade e
colocar em posição segura.

• R – Rest – minimizar a lesão associada ao
sangramento e dor

• I – Ice – alívio da dor e sangramento
• C –Compression - edema e a fase

congestiva da resposta inflamatória. Ajuda na
drenagem.
• E – Elevation - a pressão intra-vascular
local o sangramento.
• R – Referral – se necessário

FASES DA CICATRIZAÇÃO

Extrínsecos









Lesões específicas de determinado esporte
Técnica
Treinamento
Posição na equipe
Nível da competição
Jogadas ilegais
Clima
Equipamento

FASEI: Inflamação
FASE II: Proliferação
FASE III: Remodelação

4

FASE I – INFLAMAÇÃO
Objetivo:
Estabilizar e conter a área de lesão e
desfazer-se do tecido morto.

FASE I – INFLAMAÇÃO
Fundamental fase do processo de
cicatrização;

FASE I – INFLAMAÇÃO
Formação de coágulo;
Edema;
Macrófagos e Polimorfonucleares
(Neutrófilos).

SINAIS DA INFLAMAÇÃO
Rubor;
Edema;
Dor;Vasoconstrição inicial;

Aumento da temperatura;

Vasodilatação após alguns segundos;

Perda de função.

5

FASE II - PLORIFERAÇÃO
Objetivo:
Mobilizar fibroblastos
circulação.

Objetivo:
e

restaurar

a

FASE II - PLORIFERAÇÃO
FASE
Migração de Fibroblastos, Colágeno, e
Miofibroblastos;
Formação de Tecido Granular;
Angiogenese;
Diminuição do tamanho da lesão;
PMN e

FASEIII - REMODELAÇÃO

fibroblastos;

Duração: 2 a 4 semanas ( Peacock, 1984).

Melhorar a qualidade do tecido
cicatricial e restabelecendo a área.

FASE III - REMODELAÇÃO
Tamanho da lesão;
Possível formação de aderência;
Substituição colágeno III por colágeno I;
Regressão dos capilares recém formados;
Coloração próxima da pele;
Duração: 6 a 18 meses (Cannolly, 1988)

6

Conduta
•...
tracking img