Trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1750 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Do velho ao novo mundo: Trovadorismo e Quinhentismo





SUMÁRIO

1. TROVADORISMO
2. POESIA E AMOR CORTÊS
3. POESIA DOS TROVADORES: CANCIONEIROS, LÍNGUA E GÊNEROS.
4. POESIA MEDIEVAL PORTUGUESA
5. HUMANISMO
6. CLASSICISMO7. RENASCIMENTO EM PORTUGAL
8. QUINHENTISMO
9. LITERATURA INFORMATIVA
10. LITERATURA JESUITICA

I. TROVADORISMO
Representou o início da atividade literária da língua portuguesa. A Ribeirinha, de Paio Soares Taveirós, foi a primeira composição literária portuguesa.
As canções dessa época chamadas, de cantigas classificavam-se em: cantigas de amor, de amigo; de escárnio e demaldizer.
Características principais:
1. Lirismo amoroso.
2. Predomina a arte poética (trovadores).
3. Presença do ambiente campestre.
4. Referência a aspectos da vida na Corte, onde se encontravam os nobres. Presença constante do aspecto religioso.
5. Teocentrismo (devido ao predomínio da Igreja na época, Deus era considerado o centro do universo e era disseminada entre o povoa idéia de que a sociedade estava dividida entre dominados e dominadores porque "era a vontade de Deus". Os dominados somente seria possuidores de uma grande riqueza no céu, após a morte, e, nesta vida, se alguém desejasse mudar de classe social era contrariar a vontade de Deus).
6. Lamentos de amores impossíveis ou já passados.
7. Refrões (repetição de determinados versos).
8. Atosheroicos dos cavaleiros (nas novelas).
II. POESIA E AMOR CORTÊS

O "amor cortês"
Em sociedade tão fechada, de estrutura medieval, o amor – o grande e eterno tema – vai ser uma manifestação de vassalagem feudal, já que as formas de vida e de pensamento também são feudais. O que significa que o feudalismo engendra uma maneira de pensar feudal, como hoje o capitalismo engendra uma maneira depensar capitalista. O amor trovadoresco, o "amor cortês" (já que é esta sua designação típica), exigia que a mulher que se cantava fosse casada, fundamentalmente porque a donzela não tinha personalidade jurídica, uma vez que não possuía nem terras, nem criados, nem domínios, não era domina ("dona"). Em suma: não dispunha de "senhorios". Ora, o poeta não vai prestar "serviço" a uma mulher que não seja"Senhor", e nós encontramos extensamente o verbo servir como sinônimo de "namorar", "fazer a corte" etc.
O amor trovadoresco apresenta traços que o aproximam das relações de vassalagem feudais.
Aliás, os casamentos entre a gente nobre faziam-se por conveniência e não por amor. Assim, o "amor" era algo de que "senhor" dispunha para conceder ao trovador que, encontrando-se ao seu "serviço", elaachasse digno de receber o respectivo "galardão", que podia ir ao extremo limite de favores corporais. Mas o "galardão" podia ser apenas (e era-o geralmente) a pura aceitação pela dama do preito de vassalagem do trovador.
(TORRES, Alexandre Pinheiro, org. Antologia da poesia portuguesa. Porto, Lello e Irmão, 1977. v. 1, p. 5.)

O amor trovadoresco apresenta traços que o aproximam das relações devassalagem feudais.

III. POESIA DOS TROVADORES

CANCIONEIROS:
As cantigas hoje existentes podem ser encontradas em três cancioneiros: 

a) Cancioneiro da Ajuda (composto no reinado de Afonso 3º, no final do século 13, tem 310 cantigas, a maioria de amor; 

b) Cancioneiro da Biblioteca Nacional (ou Cancioneiro Colocci-Brancuti): contem 1.647 cantigas, de todos os tipos, elaboradaspor trovadores dos reinados de Afonso 3º e dom Dinis. 

c) Cancioneiro da Vaticana: possui 1.205 cantigas de todos os tipos. 

Entre os principais trovadores, devemos citar: João Soares Paiva, Paio Soares de Taveirós, dom Dinis (que deixou cerca de 140 cantigas líricas e satíricas), João Garcia de Guilhade e Martim Codax. 

IV. POESIA MEDIEVAL PORTUGUESA

GÊNERO LÍRICO
Neste gênero, o...
tracking img