Trabalho e juventude

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1677 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
TRABALHO E JUVENTUDE, O ANSEIO DO PRIMEIRO EMPREGO.


Antes de começarmos a falar de trabalho no âmbito da juventude não podemos deixar de conceituar o significa do trabalho[1] para a condição humana.
Para Marx o trabalho é atividade fundante da humanidade, ele afirma como centralidade da atividade humana, que por sua vez se desenvolve socialmente, caracterizando o homem como umser social. Marx acredita que a divisão do trabalho determina as relações dos indivíduos entre si, tendo o detentor dos instrumentos de trabalho privilégios em tais relações. Assim para o mesmo o trabalho se tornou uma mercadoria a partir do momento que o trabalhador a vende como única fonte de sua sobrevivência.
A satisfação das necessidades humanas constitui condição fundamental detoda história, sendo o trabalho atividade de toda a vida do homem, que visa satisfazer suas necessidades, é uma atividade central e historicamente determinada. O trabalho como processo histórico, se reveste de um caráter específico na formação social, cuja origem é a transformação da força humana de trabalho em mercadoria, raiz das formas de alienação, exploração e subordinação, que transpassaram ahistoria do trabalho na sociedade, mas, contudo o trabalho é atividade humana criadora que relaciona os homens entre si e com a natureza como autorrealização e como necessidade social, em outras palavras não há sociedade sem o trabalho de homens e mulheres, há de dizer como exemplo a cultura que é resultado justamente dos processos sociais de produção e reprodução das relações sociais de trabalhonas suas diversas dimensões, como arte, a técnica e o conhecimento.
Na expressão de Konder, é pelo trabalho que:
O sujeito humano se contrapõe e se afirma como sujeito, num movimento realizado para dominar a realidade objetiva: modifica o mundo e se modifica a si mesmo. Produz objetos e, paralelamente, altera sua própria maneira de estar na realidade objetiva e depercebê-la. E – o que é fundamental – faz a sua própria história. Toda a chamada história mundial – assegura Marx – não é senão a produção do homem pelo trabalho humano. (1995, p. 113).

É certo que estamos também vivenciando varias mudanças, no mundo “jovem”, podemos observar entre os jovens de classes sociais menos favorecidas o anseio pelo a busca do primeiro emprego em decorrência dediversos motivos, (ajuda financeira à família, consumismo, autonomia entre outros), associada ao distanciamento da educação ao se relacionar com o trabalho, como podemos observar na fala do Conselho Nacional da Juventude (CONJUVE) “A maioria dos jovens brasileiros, conforme se aproximam da idade adulta, deixam progressivamente de se relacionar com a educação para se relacionar com o trabalho”(CONJUVE, 2006, p.24). Em contrapartida também é possível identificar em varias partes do mundo, jovens principalmente de poder aquisitivo maior, têm permanecido na casa dos pais por mais tempo que a gerações anteriores. Vários autores apontam esse movimento como sendo característico da geração Y (referência as pessoas que nasceram entre os anos de 1977 e 1997, composta por pais que já viveram umarealidade de liberdade sexual, e uma liberdade individual e de certa maneira criando seus filhos com uma ideologia diferente), tais jovens têm a oportunidade de prolongar o período de estudos, demoram a ingressar no mercado de trabalho[2] relutando em assumir uma serie de compromissos e responsabilidades como relações afetivas duradouras e filhos assim tendo a oportunidade de usufruir de uma série devantagens constitutivas do mundo adulto. Contudo estamos vivenciando transformações no mundo do trabalho como podemos observar:


Segundo Ricardo Antunes:
O mais brutal resultado dessas transformações é a expansão sem precedentes na era moderna, do desemprego estrutural, que atinge o mundo em escala global. Pode-se dizer de maneia sintética que há uma...
tracking img