Trabalho temático

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1906 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo
Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação

Isabele Cardoso dos SANTOS
Joelma Alves da SILVA

A construção da identidade gastronômica dos descendentes italianos em São Paulo na década de 20:
Baseado no livro Brás, Bexiga e Barra Funda e outros contos, de Antônio de Alcântara Machado

Trabalho temático produzido para o
1°Semestre do curso de
Graduação em
Biblioteconomia
e Ciência da Informação

São Paulo
2011

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 A IMIGRAÇÃO ITALIANA E SUAS INFLUÊNCIAS NA CULINÁRIA PAULISTANA 4

2.1 A Imigração 4

2.2 A bagagem gastronômica 5

2.3 A questão da influência 5

2.4 Os vinhos 6

2.5 A introdução da pizza na culinária paulistana 7

3 CONCLUSÃO 8

REFERÊNCIAS 9

1INTRODUÇÃO

Antônio de Alcântara Machado foi um dos principais contistas de sua época. A seleção de onze pequenos contos revela o cotidiano da sociedade ítalo-brasileira em São Paulo na década de 20, com foco principalmente nos imigrantes italianos. Sob influência do Modernismo, esses contos nasceram a partir da experiência do autor como jornalista, tendo como cenário os três bairros paulistanos etipicamente italianos naquela época: Brás, Bexiga e Barra Funda.

Os personagens são pessoas simples, homens, mulheres e crianças que levavam uma vida difícil e de muito trabalho. O autor capta a essência deste momento na cidade de São Paulo e transporta o leitor para aquela época, através de uma análise rica e detalhada do que se passava no dia-a-dia daquelas pessoas.

No conto ‘ArmazémProgresso de São Paulo’, Machado traduz de forma simples, mas não menos detalhada, como os italianos procuraram desenvolver o comércio na cidade, começando com pequenas lojas de uma porta só e, aos poucos, crescendo. Esse crescimento se dava pela variedade de artigos que eles vendiam como no caso do armazém do Sr. Natale Pienotto, que disponibilizava artigos de todas as qualidades, além do jogo de bochae, é claro, a pizza:
A roda de pizza chiava na panela.
-Com molce alici, eh dama Bianca!
-Si capisce, sor Luigi!
Natale entrou.
-Vem aqui no quarto.
Natale foi meiodesconfiado!
(MACHADO, 2004, p. 53)

É sabido que a culinária italiana não se resume às massas e modificou os cardápios brasileiros desde a sua chegada. O objetivo deste trabalho é descobrir se houve uma modificação significativa na alimentação dos descendentes italianos, em comparação com a bagagem gastronômica que os imigrantes trouxeram. É refletir sobre osprocessos que os levaram a construir uma identidade gastronômica tipicamente paulistana, e descobrir se as receitas que são consideradas tradicionalmente italianas hoje são mesmo genuínas, ou se foram se adaptando ao longo do tempo.

2 A IMIGRAÇÃO ITALIANA E SUAS INFLUÊNCIAS NA CULINÁRIA PAULISTANA

Durante o processo imigratório italiano em São Paulo, em meados da década de 20, é possível observarque, embora de uma forma um tanto tímida, os paulistanos foram se deixando influenciar pela gastronomia italiana, assim como os italianos também foram se adaptando à vida na nova pátria, incorporando outros ingredientes que não aqueles originais às suas receitas.
Apesar da resistência tanto por parte de alguns italianos, que se recusavam a aceitar a adaptação das receitas, por medo de perderem atradição das receitas, quanto por parte dos paulistanos, que ainda acostumavam seus paladares aos novos ingredientes, necessariamente iniciou-se um processo de assimilação de culturas.

2.1 A Imigração

São Paulo foi uma das cidades que mais concentrou imigrantes italianos a partir da década de 1870. Atraídos pela política do governo provinciano em São Paulo, que subsidiava passagens e...
tracking img