Trabalho sobre saúde publica no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1525 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade da Amazônia
Curso de Graduação em Enfermagem
Disciplina: Políticas Pública de Saúde ( PPS )
Profa: Luzia Beatriz
Alunos: Lucas Pinheiro e Rosenildo Maués
Trabalho de Políticas de Saúde no Brasil


INTRODUÇÃO

A crise do sistema de saúde no Brasil está presente no nosso dia a dia
podendo ser constatada através de fatos amplamente conhecidos e divulgados
pelamídia, como :
· filas frequentes de pacientes nos serviços de saúde;
· falta de leitos hospitalares para atender a demanda da população;
· escassez de recursos financeiros, materiais e humanos para manter os
serviços de saúde operando com eficácia e eficiência;
· atraso no repasse dos pagamentos do Ministério da Saúde para os serviços
conveniados;
· baixos valores pagos pelo SUS aos diversosprocedimentos médico-hospitalares;
· aumento de incidência e o ressurgimento de diversas doenças transmissíveis;
· denúncias de abusos cometidos pelos planos privados e pelos seguros de
saúde .
Para analisarmos a história das políticas de saúde no país faz-se necessário
a definição de algumas premissas importantes, a saber:
1. a evolução histórica das políticas de saúde está relacionadadiretamente a
evolução político-social e econômica da sociedade brasileira, não sendo
possível dissociá-los;
2. a lógica do processo evolutivo sempre obedeceu à ótica do avanço do
capitalismo na sociedade brasileira, sofrendo a forte determinação do
capitalismo a nível internacional;
3. a saúde nunca ocupou lugar central dentro da política do estado brasileiro,
sendo sempre deixada no periferiado sistema, como uma moldura de um
quadro, tanto no que diz respeito a solução dos grandes problemas de saúde
que afligem a população, quanto na destinação de recursos direcionados ao
setor saúde.
Somente nos momentos em que determinadas endemias ou epidemias se
apresentam como importantes em termos de repercussão econômica ou social
dentro do modelo capitalista proposto é que passam a seralvo de uma maior
atenção por parte do governo, transformando-se pelo menos em discurso
institucional, até serem novamente destinadas a um plano secundário, quando
deixam de ter importância.
Podemos afirmar que de um modo geral os problemas de saúde tornam-se
foco de atenção quando se apresentam como epidemias e deixam de ter
importância quando os mesmos se transformam em endemias.

QUADROSANITÁRIO

Naturalmente, a falta de um modelo sanitário para o país, deixavam as
cidades brasileiras a mercê das epidemias.
No início desse século, a cidade do Rio de Janeiro apresentava um quadro
sanitário caótico caracterizado pela presença de diversas doenças graves que
acometiam à população, como a varíola, a malária, a febre amarela, e
posteriormente a peste, o que acabou gerandosérias consequências tanto para saúde coletiva quanto para outros setores como o do comércio exterior , visto que os navios estrangeiros não mais queriam atracar no porto do Rio de Janeiro em função da situação sanitária existente na cidade.
Rodrigues Alves, então presidente do Brasil, nomeou Oswaldo Cruz, como
Diretor do Departamento Federal de Saúde Pública, que se propôs a erradicar a epidemia defebre-amarela na cidade do Rio de Janeiro
Foi criado um verdadeiro exército de 1.500 pessoas que passaram a exercer
atividades de desinfecção no combate ao mosquito, vetor da febre-amarela. A
falta de esclarecimentos e as arbitrariedades cometidas pelos “guardas-sanitários ”causam revolta na população.

Este modelo de intervenção ficou conhecido como campanhista, e
foi concebido dentro de umavisão militar em que os fins justificam os meios, e
no qual o uso da força e da autoridade eram considerados os instrumentos
preferenciais de ação.
A população, com receio das medidas de desinfecção, trabalho realizado
pelo serviço sanitário municipal, revolta-se tanto que, certa vez, o próprio
presidente Rodrigues Alves chama Oswaldo Cruz ao Palácio do Catete, pedindo lhe para, apesar...
tracking img