Trabalho sobre desenvolvimento economico local

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2281 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL 4

3 CONCLUSÃO 7

REFERÊNCIAS 8


INTRODUÇÃO

No trabalho a seguir exponho a respeito do texto sugerido “Gestão de desenvolvimento econômico local: Algumas considerações.”.
Foi analisando as crises e os estágios do sistema capitalista que economistas políticos franceses desenvolveram a partir dadécada de 1970, sendo assim destacarei a dinâmica cíclica do sistema capitalista.
O desenvolvimento econômico local procura identificar as possibilidades de espaços existentes, as dificuldades e limites da atual prática, as contradições do projeto de municipalização e descentralização e as indicações de caminhos param se construir propostas articuladas de políticas de desenvolvimentointegrado e sustentável. As políticas públicas que são diretamente ligadas ao modelo econômico assume aspecto estratégico. As opções estratégicas devem considerar as inovações tecnológicas e a reestruturação produtiva e suas consequências sobre o emprego e o agravamento das desigualdades sociais, buscando-se alternativas que traga o emprego não apenas da forma compensatória, mas que os tornemcidadãos ativos, contribuindo, através de novas formas de inserção social, para o desenvolvimento da sociedade.
Veremos também quais são as ações políticas que estão sendo empregadas para o desenvolvimento econômico do município de Itumbiara.











DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL



O processo de reestruturação capitalista e a crise dos EstadosNacionais, ocorridas a partir da década de 1970 influenciaram nas discursões sobre os rumos dos processos de desenvolvimento no mundo e no Brasil. Estudando a temática do desenvolvimento começamos a avaliar os resultados das politicas de desenvolvimento em curso nos países capitalistas do pós-guerra, quando os modelos de desenvolvimento e as praticas de planejamento da vida econômica eram realizadosde cima para baixo, ou seja, conduzidas pelos estados nacionais. Que foi muito oportuno para a vitalidade do capitalismo contemporâneo, trouxe consigo características não muito boas que afetam os trabalhadores em todo o mundo. Por um lado, ele leva o desemprego de milhões de pessoas que antes viviam com estabilidade, por outro, cria novos espaços de entrada de mais-valia a partir da exploração dotrabalho precário. O fenômeno da reestruturação capitalista é uma reação dos anos de 1970, representada pela superacumulação de riquezas, do ponto de vista politico compõe a crise do Estado de bem – estar social. O que significa que o fordismo enquanto método de produção entrou em crise, como efeito dessa crise ocorreu queda de capital, estagnação econômica e radicalização do movimento operário.A enorme implantação de inovações tecnológicas facilitou com que as fábricas diminuíssem consideravelmente os números de seus quadros de operários. Somando-se a outros fatores dessa época, tivemos como consequência o desemprego e logo a instabilidade profissional daqueles que apesar de tudo conseguiram manter seus postos de trabalho. Esta divisão da classe trabalhadora entreempregados e desempregados minou a histórica unidade que ela possuía, e mesmo no meio daqueles trabalhadores que conseguiram permanecer em seus postos surgiu uma classe privilegiada nos postos de chefia que marcava uma diferença até econômica em relação aos trabalhadores dos cargos subalternos.
O Estado nacional liberal, era a forma política mais adequada à acumulação do capital, a existênciade uma divisão social do trabalho que produz valor ampliado e reproduz uma ordem dividida em classes sociais adversas. Assim, o Estado nacional liberal não passava de instrumento de preservação da lógica conflitiva e expansiva do capital. O Estado assistencial entrou em crise no momento em que a valorização do capital começou a baixar, passando a encontrar dificuldades para efetivar os...
tracking img