Trabalho libras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3859 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP
CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
CURSO DE PEDAGOGIA
LIBRAS





RELATÓRIO
LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA PRÁTICA DOCENTE



Catiuscia Daiane dos Passos RA: 5745178119
Charnéia Ferreira da Silva RA: 3808642184
Maria Isabel Lisch RA: 4515844877
Raquel da Silva Brandão Marques RA: 4932933197
Raquel Fernanda Brum RA: 5568136816 Atividade Prática Supervisionada (ATPS) entregue como requisito para conclusão da disciplina LIBRAS, sob orientação do professor-tutor a distância Ronaldo de Brito Soares.








CAXIAS DO SUL
2012
INTRODUÇÃO


No presente trabalho, serão enfatizados aspectos referentes à temática da surdez e Cultura Surda em seus aspectos médico, cultural esocial. Será abordado com destaque o uso da Língua Brasileira de Sinais – Libras, como também os pontos positivos e negativos por que passou e ainda passa a educação brasileira dos surdos.
Reflexão sobre o processo da inclusão desde os tempos remotos até a contemporaneidade e os principais movimentos surdos realizados no mundo em uma significativa passagem de tempo.
No desenrolar dotexto encontrar-se-á ainda, exemplos de atividades que podem ser desenvolvidas com crianças surdas em salas de aula regulares.



























A SURDEZ E A CULTURA SURDA EM SEUS ASPECTOS MÉDICO, CULTURAL E SOCIAL


Em tempos remotos a surdez era considerada castigo, o surdo era considerado louco, anormal ou enfeitiçado. Não havia um local destinadoà educação das crianças surdas e sim, lugares destinados às pessoas com algum tipo de deficiência como deficientes visuais, deficientes mentais e deficientes auditivos. Eram mantidos no local com a intenção de serem curados. A pessoa surda era isolada passando a viver longe do convívio social e ambiente escolar. Quando não eram mortos, eram abandonados. Na antiguidade Chinesa, os surdos eramjogados ao mar. Em Esparta, os surdos eram arremessados de cima dos rochedos.
Os surdos ficavam analfabetos pela razão de não terem as mesmas oportunidades que as crianças ouvintes em adquirir a Língua Portuguesa e serem alfabetizados. Efetuavam as comunicações básicas através de gestos. Aristóteles considerava humano somente as pessoas que possuíam a linguagem. Nesse sentido, em Roma, ossurdos não possuíam direito algum. Até o século XII, não tinham nem o direito de se casar.
Segundo Moura (2000) “[...] naquela época, as pessoas surdas não eram consideradas humanas, pelo fato de o pensamento, a linguagem e a fala terem que estar sempre em conjunto, ou seja, não se chegaria ao raciocínio humano se faltasse um desses ingredientes.” (p.16)
Com o passar dos anos, depois demuitas lutas, com o advento do cristianismo, os surdos passaram a ser considerados pessoas normais.
Somente a partir de 1755, começaram a surgir informações sobre os surdos em considerações educacionais, que davam significação a Língua Brasileira de Sinais e professores surdos na educação dos surdos. Quem deu início à essas mudanças foi o padre Francês Charles-Michel de I’Epée que passoua instruir as crianças surdas numa pequena escola. Essa escola evoluiu e com o tempo tornou-se o Instituto Nacional de Surdos-Mudos de Paris - primeira escola de surdos do mundo. Essa escola passou a ser considerada o início: da construção das comunidades surdas; das lutas pelo direito à cidadania dos surdos; das conquistas pela equidade social. No Brasil, Hernest Huet, a convite de D. Pedro II,fundou o Instituto Nacional dos surdos-mudos.
No final do século XVIII, professores passaram a discutir qual seria o método mais adequado na educação dos surdos, a questão era sobre o oralismo ou língua de sinais.
Na sociedade contemporânea, os surdos conquistaram seu espaço, adquiriram seu papel perante a sociedade, o respeito mútuo e também o direito à educação inclusiva com...
tracking img