Trabalho escravo: nos tempos coloniais e atualmente.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1076 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
TRABALHO ESCRAVO (O Trabalho Escravo nos tempos Coloniais e Atualmente)


INTRODUÇÃO

A escravidão começou no Brasil no século XVI, e continua ainda nos dias de hoje. Ela continua sendo um tema de sérios questionamentos para a Justiça Trabalhista Brasileira.
Quando se fala em trabalho escravo, se verifica a afronta direta aos princípios e às garantias individuais previstos tanto naDeclaração Universal dos Direitos Humanos quanto na Constituição Federal.
O trabalho escravo não é uma exclusividade de países em desenvolvimento, de países pobres, ele existe em todas as economias do mundo, em todas as regiões e apresentando as mais diversas formas.
O Brasil foi um dos primeiros países perante a OIT (Organização Internacional do Trabalho), a reconhecer o problema. E criou desde 95o grupo móvel de fiscalização, formado por fiscais, procuradores do trabalho e policiais federais e atende denúncias em todo o país.


TRABALHO ESCRAVO NO PERIODO COLONIAL

No Brasil colonial, os escravos estavam presentes em quase todas as atividades econômicas. Explorados e agredidos, escravos tanto indígenas como africanos organizaram inúmeras rebeliões, jamais aceitaram sua condição.Eles viviam em péssimas condições de trabalho, se alimentando mal e apanhando até morrer. Muitos deles seviciados, fornicados por homens com taras sexuais, estupradores e sedentos de sexo.

No período colonial o Brasil foi o País da escravidão. Hoje a situação apenas amenizou.

Eles trabalhavam feito animais, nos serviços domésticos, nas plantações, nas manufaturas, na criação de gados, naconstrução de estradas, no comércio ambulante, auxiliando os ferreiros, carpinteiros, nas lojas entre outras atividades. A vida útil do escravo adulto não passava de 10 anos (por causa da dureza dos trabalhos e precariedade da alimentação) e seus filhos eram seus substitutos.

Qualquer deslize era motivo para as mais horríveis punições. Para fugir de todos estes sofrimentos, alguns escravos sesuicidavam; outros matavam seus feitores e ainda os que fugiam para os quilombos. Nos quilombos (geralmente localizados em lugares de difícil acesso), os escravos viviam em liberdade, produziam seus alimentos, fabricavam roupas, móveis e instrumentos de trabalho, cultivavam também as crenças, as tradições e os costumes africanos. O adultério, o roubo e o homicídio eram punidos com a pena demorte.

A escravidão foi como uma saída para os colonizadores portugueses, visto que encontraram graves problemas na mão de obra para conseguir colonizar o país. Os índios procuravam de todas as maneiras se defenderem do assédio português, que improvisaram negros como soldados para prender os índios. Era a luta titânica de escravo contra escravo. Hoje a luta é outra, a dos poderosos contra os pésdescalços.
A escravidão no Brasil foi extinta oficialmente em 13 de maio de 1888, com a Lei Áurea que a Princesa Isabel assinou e declarava extinta a escravidão no Brasil. Vários fatores causaram a assinatura desta Lei, dentre eles a rebeldia dos escravos e as campanhas abolicionistas.

Embora não existisse mais escravidão no Brasil, os escravos, agora livres, tinham um grande problema pelafrente: foram postos em liberdade sem nenhuma garantia de emprego ou qualquer coisa que garantisse a sua sobrevivência.


TRABALHO ESCRAVO NOS DIAS ATUAIS

No Brasil, o trabalho escravo resulta da soma do trabalho degradante com a privação de liberdade. Além de o trabalhador ficar atrelado a uma dívida, tem seus documentos retidos e, nas áreas rurais, normalmente fica em local geograficamenteisolado.

Vale lembrar que o trabalho escravo não existe somente no meio rural, ocorre também nas áreas urbanas, nas cidades, porém em menor intensidade. No Brasil, os principais casos de escravidão urbana ocorrem na região metropolitana de São Paulo, onde os imigrantes ilegais são predominantemente latino-americanos, sobretudo os bolivianos, e mais recentemente os asiáticos, que trabalham...
tracking img