Trabalho epidemiologia cif e cid

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1470 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA
HELEN MÁRCIA OLIVEIRA SOARES
JONATHAN ELIAS WELTER








TRABALHO DE EPIDEMIOLOGIA













Palhoça
2012



HELEN MÁRCIA OLIVEIRA SOARES
JONATHAN ELIAS WELTER








TRABALHO DEEPIDEMIOLOGIA











Trabalho de Epidemiologia, realizado pela sexta fase do curso de Graduação de Fisioterapia, da Universidade do Sul de Santa Catarina/UNISUL. Sobre o que é Cif, como usar , a diferença entre Cif e Cid Um caso e sua devida classificação como exemplo.








Professora : Daysi Jungda Silva






Palhoça
2012
SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................4

1. Classificação do que é CIF e como usar...............................................................5
2. Diferença entre CIF e CID....................................................................................63. Um caso e sua devida classificação como exemplo......................................................................7
REFERÊNCIAS...........................................................................................................8



























1 INTRODUÇÃO


A Organização Mundial de Saúde tem hoje duas classificações de referência paraa descrição dos estados de saúde: a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, que corresponde à décima revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID-10) e a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). A utilização da CIF vem sendo aguardada com grande expectativa pelas organizações de pessoas com deficiências einstituições relacionadas. A falta de definição clara de “deficiência” ou “incapacidade” tem sido apontada como um impedimento para a promoção de saúde de pessoas com deficiência. É importante que essas definições, especialmente no âmbito legislativo e regulamentar, sejam consistentes e se fundamentem num modelo coerente sobre o processo que origina as situações de incapacidade.
A ClassificaçãoInternacional de Doenças (CID) veio sendo estruturada, por mais de um século, primeiro como forma de responder à necessidade de conhecer as causas de morte. Passou a ser alvo de crescente interesse e seu uso foi ampliado para codificar situações de pacientes hospitalizados, depois consultas de ambulatório e atenção primária, sendo seu uso sedimentado também para morbidade.
O conceito deuma “Família” de Classificações foi surgindo na medida da percepção dos usuários de que uma classificação de doenças não seria suficiente para todas as questões relacionadas à saúde. Segundo esse conceito, a CID atenderia as necessidades de informação diagnóstica para finalidades gerais, enquanto outras classificações seriam usadas em conjunto com ela, tratando com diferentes enfoques informaçõessobre procedimentos médicos e cirúrgicos e as incapacidades.
A idéia de desenvolvimento da CIF partiu da necessidade de cobrir as questões que não eram alcançadas pela CID, a princípio as consequências das doenças. Isto foi amplamente publicado, avaliado e revisado. Assim, a CIF pertence à “família” apresentada acima, e foi desenvolvida a partir da “Classificação Internacional dasDeficiências, Incapacidades e Desvantagens” publicada em 1980 (nesta versão, Classificação Internacional de Deficiências, Incapacidades e Desvantagens às consequências duradouras das doenças.


1.1 Classificação do que é CIF e como usar.
Mas afinal o que é CIF? é a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde como instrumento estatístico, a CIF pode servir para a...
tracking img