Trabalho de parnasianismo e simbolismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1738 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de fevereiro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Análise de Poemas Parnasianos e Simbolistas

Análise de Poemas Parnasianos e Simbolistas

Cuiabá
Abril/2010

• Texto 1
• Titulo: Vaso Grego
• Autor: Alberto Oliveira
• Escola literária: Parnasianista
• Biografia:

Nasceu em Palmital de Saquarema no estado do Rio de Janeiro em 1857. Foi professor de Literatura, funcionário público, inspetor escolar, poeta,formado em Farmácia, mas não exerceu profissão, viveu na capital da República longe das agitações literárias e da boemia.
Grande leitor dos clássicos, conhecedor da língua, mestre da versificação, foi por muitos considerado o mais perfeito ou o mais característico dos parnasianos brasileiros. Iniciou sua carreira literária ao tempo das lutas anti-românticas, afeiçoou-se depois à sensibilidadesimbolista e quando estourou o movimento modernista não se mostrou tão reacionário como seus confrades da Academia Brasileira de Letras.
Atravessando diversas correntes estéticas, é como parnasiano que Alberto de Oliveira deve ser apreciado, pelo que criou dentro da Escola e pelo magistério que exerceu sobre seus colegas. Morreu em Niterói no ano de 1937.

• Característicasparnasianas: Racionalismo, gosto pela perfeição, estética de soneto, métrico e preciso.

• Texto verbal:

Vaso Chinês (Alberto Oliveira)

Estranho mimo aquele vaso! Vi-o,
Casualmente, uma vez, de um perfumado
Contador sobre o mármore luzidio,
Entre um leque e o começo de um bordado.

Fino artista chinês, enamorado,
Nele pusera o coração doentio
Em rubras floresde um sutil lavrado,
Na tinta ardente, de um calor sombrio.
Mas, talvez por contraste à desventura,
Quem o sabe?... de um velho mandarim
Também lá estava a singular figura.
Que arte em pintá-la! A gente acaso vendo-a,
Sentia um não sei quê com aquele chim
De olhos cortados à feição de amêndoa.

• Texto não verbal:

[pic]

• Relação deintertextualidade: os dois mostram a perfeição, o texto sendo parnasiano e a imagem sendo grega, o grego era considerado perfeito.

• Texto 2
• Título: Via Láctea
• Autor: Olavo Bilac
• Escola literária: Parnasianismo

• Biografia:

Nasceu no Rio de Janeiro em 1865. Foi jornalista, funcionário público, professor de Literatura, cronista, prosador, poeta, orador. Cursou a Faculdade deMedicina até o quinto ano no Rio de Janeiro e depois cursa a Faculdade de Direito em São Paulo, não conclui nenhum dos cursos. Nas Letras, dedicou atenção constante fazendo versos para a infância escrevendo só ou em colaboração livros didáticos ou antologias.
Morreu no Rio de Janeiro em 1918.

• Características parnasianas: Racionalismo, gosto pela perfeição, estética de soneto,métrico e preciso.

• Texto verbal:

Meu Lar é a Via - Láctea (trecho)

“[...] Meu Lar é a Via-Láctea!
Meus vizinhos, todos os astros!
Minhas vizinhas, estrelas!
E para tocá-las ou vê-las
Basta eu abrir meus braços!
Meu coração é uma delas!
Sou viajante do espaço
E não conheço fronteiras!
Quem quiser seguir meus passos,
é abrir asasas, batê-las! [...]”

• Texto não verbal:

[pic]

• Relação de intertextualidade: todos os textos estão falando de estrelas, e da via láctea, e também do amor por elas.

• Texto 3
• Título: As Pombas
• Autor: Raimundo Correa
• Escola literária: Parnasianismo

• Biografia:

Nasceu a bordo do navio São Luís, ancorado em águas maranhenses em 1859. Em 1882formou-se advogado pela Faculdade do Largo São Francisco, desenvolvendo uma bem-sucedida carreira como juiz no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Raimundo Correia iniciou a sua carreira poética com o livro "Primeiros sonhos", revelando forte influência dos poetas românticos Fagundes Varela, Casimiro de Abreu e Castro Alves. Em 1883 com o livro "Sinfonias", assume o parnasianismo e passa a integrar, ao...
tracking img