Trabalho cientifico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4170 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DE TECNOLOGIA SÃO FRANCISCO
MARIA APARECIDA LIMA VENTURA















METODOLOGIA DA LINGUA PORTUGUESA:

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA



















Colatina
2012





MARIA APARECIDA LIMA VENTURA















METODOLOGIA DA LINGUA PORTUGUESA:

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICAO presente trabalho apresenta uma dissertação atendendo ao Curso de Pós-Graduação em Metodologia da lingua portuguesa, da disciplina deEstrutura e Funcionamento da Educação Básica– Faculdade de Tecnologia São francisco.










Colatina
2012



A educação no período Brasil-Colonia até a Primeira República

Neste período, não diferente dos demais, a educação cabia àtarefa de auxiliar a formação de novos comportamentos, disseminando novos padrões morais e intelectuais, visando a construção de uma unidade nacional em torno do projeto republicano. No sentido de retirar o Brasil do atraso educacional, promovendo o seu desenvolvimento e progresso industrial, os liberais republicanos encontram resposta na ideologia positivista criada pelo filósofo francês AugustoComte (1798-1857), surgida na Europa com o objetivo de exaltar o progresso das ciências experimentais e propor uma reforma conservadora e autoritária, ao mesmo tempo inovadora. A ideologia positivista entendia que a mãe devia ser o primeiro agente a educar os futuros cidadãos, ensinando hábitos de boa conduta e higiene.
Durante o período de 1889 a 1925 várias reformas foram promovidas com oobjetivo de melhor estruturar o ensino primário e secundário, sem mexer com os privilégios do ensino superior, e sem criar uma sólida estrutura para o ensino primário destinado às camadas populares. A educação positivista foi extremamente conservadora e reacionária, manteve o controle ideológico sobre a sociedade, por meio de inspeções e autorizações. Foi inserida no currículo a disciplina EducaçãoMoral e Cívica para o ensino primário e secundário, e a escola existia para fornecer pessoal à política e à administração.
Em síntese, podemos dizer que a educação brasileira, no período estudado, nunca foi prioridade dos governantes. O sistema educacional brasileiro desde o período jesuítico até a Primeira República se materializou dualista. E o que significa ser dualista? Significa dizer quesempre existiu uma escola para os pobres e uma escola voltada para a formação dos dirigentes.






A Lei de Diretrizes e Base da Educação, nº 9394/96 – trajetória e perspectiva dentro do panorama atual da globalização, das políticas neoliberais


De início, os grupos de educadores defendiam um ante projeto de lei que tinha como princípios àqueles propostos durante a IV ConferênciaBrasileira da Educação – CBE, de 1986. O intuito era subsidiar a Constituinte Nacional, com relação às políticas educacionais. Posteriormente, outros princípios foram dando corpo à proposta inicial e resultou na elaboração do anteprojeto de LDB no. 1.258-C/88 defendido pelo movimento social denominado Fórum em Defesa da Escola Pública.Oito anos de debate intenso, de trama legislativa e atuação do executivoconseguiram descaracterizar o primeiro anteprojeto da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e seus substitutivos apresentados à Câmara Federal e defendidos pelos educadores.Ou seja, o projeto desejado pelos educadores não vingou, pois encontra posição a este foi aprovado um outro que teve como ponto de partida o anteprojeto do Senador Darcy Ribeiro, elaborado de forma poucodemocrática, em conciliação com o executivo, com suporte decisivo do governo federal. Assim, Darcy Ribeiro foi o relator da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, sancionada em 20 de dezembro de 1996 e que leva o seu nome.
A literatura educacional crítica aponta que a LDB nº 9394/96 é de cunho essencialmente neoliberal. Ou seja, em muitos aspectos o Estado apresenta-se enquanto mínimo e/ou...
tracking img