Trab

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2673 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
25/04/12

Banco de dados relacional – Wikipédia, a enciclopédia livre

Banco de dados relacional
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um Banco de Dados Re lacional é um banco de dados que segue o Modelo Relacional.
Um Banco de Dados Re lacional é um conceito abstrato que define maneiras de armazenar, manipular e
recuperar dados estruturados unicamente na forma de tabelas,construindo um banco de dados.
O termo é aplicado aos próprios dados, quando organizados dessa forma, ou a um Sis te ma Ge re nciador de
Banco de Dados Re lacional (SGBDR) – do inglês Re lational databas e manage me nt s ys te m
(RDBM S) – um programa de computador que implementa a abstração.

Índice
1 Histórico
1.1 As 13 regras
2 Por que usar um Banco de Dados Relacional?
3 O Modelo Relacional3.1 Tabelas (ou relações, ou entidades)
3.2 Registros (ou tuplas)
3.3 Colunas (atributos)
3.4 Chave
4 Relacionamentos
5 Modelagem
5.1 Normalização
5.2 Dependência Funcional
5.3 Primeira Forma Normal (FN1)
5.4 Segunda Forma Normal (FN2)
5.5 Terceira Forma Normal (FN3)
6 Ver também
7 Referências

Histórico
Os Bancos de dados re lacionais (BDR) surgiram em meados da década de 1970.Porém, apenas alguns
anos mais tarde as empresas passaram a utilizá- los no lugar de arquivos planos (do inglês f lat f ile), bancos de
dados hierárquicos e em rede.

As 13 regras
Em 1985, Edgar Frank Codd, criador do modelo relacional, publicou um artigo onde definia 13 regras para
que um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) fosse considerado relacional:
1. Regra Fundamental:pt.wikipedia.org/wiki/Banco_de_dados_relacional

1/8

25/04/12

2.
3.

4.

5.

6.

7.
8.

9.

10.

11.

12.

13.

Banco de dados relacional – Wikipédia, a enciclopédia livre

Um SGBD relacional deve gerir os seus dados usando apenas suas capacidades relacionais
Regra da informação:
Toda informação deve ser representada de uma única forma, como dados em uma tabela
Regra dagarantia de acesso:
Todo o dado (valor atómico) pode ser acedido logicamente (e unicamente) usando o nome da
tabela, o valor da chave primária da linha e o nome da coluna.
Tratamento sistemático de valores nulos:
Os valores nulos (diferente do zero, da string vazia, da string de caracteres em brancos e outros
valores não nulos) existem para representar dados não existentes de forma sistemáticae
independente do tipo de dado.
Catálogo dinâmico on- line baseado no modelo relacional:
A descrição do banco de dados é representada no nível lógico como dados ordinários (isso é, em
tabelas), permitindo que usuários autorizados apliquem as mesmas formas de manipular dados
aplicada aos dados comuns ao consultá- las.
Regra da sub- linguagem abrangente:
Um sistema relacional pode suportarvárias linguagens e formas de uso, porém deve possuir ao
menos uma linguagem com sintaxe bem definida e expressa por cadeia de caracteres e com
habilidade de apoiar a definição de dados, a definição de visões, a manipulação de dados, as
restrições de integridade, a autorização e a fronteira de transações.
Regra da atualização de visões:
Toda visão que for teoricamente atualizável será tambématualizável pelo sistema.
Inserção, atualização e eliminação de alto nível:
Qualquer conjunto de dados que pode ser manipulado com um único comando para retornar
informações, também deve ser manipulado com um único comando para operações de inserção,
atualização e exclusão. Simplificando, significa dizer que as operações de manipulação de dados
devem poder ser aplicadas a várias linhas de umavez, ao invés de apenas uma por vez.
Independência dos dados físicos:
Programas de aplicação ou atividades de terminal permanecem logicamente inalteradas quaisquer
que sejam as modificações na representação de armazenagem ou métodos de acesso internos.
Independência lógica de dados
Programas de aplicação ou atividades de terminal permanecem logicamente inalteradas quaisquer
que sejam as...
tracking img