Toxicologia e forense

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2053 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
 Ciência que tem como objetivo de estudo o efeito

adverso das substâncias químicas que interagem com organismos vivos.  Tornou-se mais conhecida na década de 60.
Erik de Magalhães Jessica Tolentino Jessica Menezes Laércio Silvano  Elementos fundamentais:  Toxicante;  Toxicidade;  Intoxicação.

21 de Fevereiro de 2013

Abrange as propriedades físicas e químicas dos agentes tóxicos,os efeitos fisiológicos no organismo vivo, os métodos quantitativos e qualitativos para analises em materiais biológicos e não-biológicos e o desenvolvimento de procedimentos para o tratamento da intoxicação.
Fonte toxicologia forense 2 ed

 ANVISA;  Farmacovigilância;  Lei N°. 6360/97  CTB;  Legislações

 Campos de atuação:  Toxicologia analítica ou química;

 Toxicologia clinica oumédica;
 Toxicologia experimental;

pertinentes

a

distintas

formas

de

intoxicações;

1

 Toxicologia ambiental;  Toxicologia ocupacional;  Toxicologia de alimentos;

 Gases  Voláteis  Inorgânicos  Orgânicos não-voláteis

 Toxicologia social;
 Toxicologia Forense;  Toxicologia de Medicamentos;  Urgência;  Controle de dopagem;  Monitoração terapêutica;

CONVENCIONAIS:  Sangue  Urina  NÃO CONVENCIONAIS:  Saliva  Suor  Cabelo e unha

 Humor vítreo;  Fígado;  Conteúdo estomacal;  Órgãos, fluidos e tecidos;

 Necessário reconhecer a abrangência da análise que

 Art. 2º da resolução nº 2,de 5 de maio de 2004 do

esta sendo requisitada, por isso, podem ser amplamente classificados segundo esses processos:
 Triagem;  Confirmação; Métodos específicos seletivos;

ministério do esporte e conselho nacional do esporte;
 Uso de substância, agente ou método capaz de alterar o

desempenho do atleta, prejudicar a sua saúde ou comprometer o espírito do jogo, por ocasião de competição desportiva ou fora dela;  Tornou-se relevante apartir da morte de um atleta por uso de Anfetamina;  Em 1999 criou-se a Agência MundialAntidopagem;

2

 Esteroides Androgênicos Anabolizantes (EAA)  Atuam

 Análise de Urina onde pode-se encontrar:  Metabólito ativo da testosterona Diidrotestosterona

sobre receptores esteroidais, objetivando alterar a síntese proteica;  Há melhora de resistência, força, desempenho em competição e tempo de recuperação;  Aumento da atividade eritropoética;  Em olimpíadas os resultadosadversos mais ocorridos são desta origem;

(DHT);
 Epitestosterona

e Testosterona, a qual vem a concretizar a ideia de ingestão exógena;  Análise deve ser confirmada com método específico (espectrometria de massa);

 Orfila, primeiro toxicologista.  Qualquer aplicação do estudo dos toxicantes cujo

 Busca atestar a presença de qualquer substância

objetivo seja a elucidação de umainvestigação criminal, post-mortem, analise de mudança de desempenho(controle de dopagem) e caracterização de crime ambiental.
 O sistema de qualidade laboratorial utilizado,entre

química exógena presente na amostra, passando a ser objeto de perícia;  Metodologias analíticas: Rastreio, identificação, confirmação, quantificação, interpretação de resultados e emissão do laudo químicotoxicológico (objeto que instrui o inquérito policial).

outros, pode ser o preconizado pela Sociedade de toxicologia forense.

 Cadeia de custodia:  Documentação preenchida pelo laboratório desde a

 Caso não haja uma especificação da analise,deve ser

coleta ate a destruição completa do material.
 Segurança da qualidade analítica:  Validação dos

feito o processo de triagem e confirmaçãocomo dito anteriormente;
 Se o analito for conhecido:  1-Isolamento e concentração;  preparação

métodos e sistema de qualidade

laboratorial
 A amostragem deve obedecer a critérios científicos

da amostra,hidrolise e remoção de interferentes;  Extração liquido-liquido  Extração em fase solida

3

 2-Diferenciação/detecção:  Imunoensaios;  Cromatografias com acoplamentos ...
tracking img