Tipos de poesia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2309 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TEORIA DA LITERATURA
TIPOS DE POESIA

Balada
O nome Balada vem do Latim ballare, mas sua origem não é romana, vem da Baixa Idade Média, nas civilizações germânicas, eslavas e escandinavas, o poeta Adam de La Hall criou o termo literário ballade no século XIII. O papel original desempenhado pela dança acompanhado pela música e pelo canto, sem coreografias. Hoje a balada é composta deritmo mais lento e pode ter como tema o romance; apontamento; observação ou registro cotidiano cinzento, alienado ou hostil.
É um poema narrativo que organiza a historia em um enredo, muitas vezes, o centro do poema esta em um só personagem, um só acontecimento, um só conflito ou uma só temática. Os fatos são narrados por um narrador invisível para que possa dar mais ênfase ao personagem, seusconflitos e também há diálogos trágicos ou nefastos, a essência da balada é dramática.
Balada Folclórica, tem sua origem popular e é uma das mais antigas expressões poéticas da humanidade, é um antecessor do teatro, um exemplo de balada folclórica e A NAU CATRINETA de Almeida Garret:
Lá vem a nau Catrineta
Que tem muito que contar!
Ouvide, agora, senhores,
Uma história de pasmar.
Passavamais de ano e dia
Que iam na volta do mar
Já não tinham que comer,
Já não tinham que manjar.
Deitaram sola de molho
Para o outro dia jantar;
Mas a sola era tão rija
Que a não puderam tragar.
Balada propriamente dita tem forma fixa: três estrofes de oito versos, arranjos de rimas e cada estrofe termina com o mesmo verso. No sec. XV ela passa a ser constituída por 28 versos em 3estrofes de 8 versos seguidos de “ofertório” (envoi) de 4 versos, um exemplo é a “Balada do Solitário” de Guilherme de Almeida:
De que serviu? se elo por elo
dessa paixão de alma pagã
rompeste a golpes de cutelo,
ó minha loira castelã?
Hoje estou só, sozinho, e velo
por este imenso corredor
que corre, corre paralelo
ao teu, ao meu, ao nosso amor.

OFERTÓRIO

A ti, Princesa, eu te reveloesta canção, que um trovador
virá cantar pelo castelo
do teu, do meu, do nosso amor!
Rondel
É um poema originário da poesia lírica francesa, serve para galanteios amorosos e sentimentos delicados. O Rondel não obedece a esquema fixo de rimas, nem metro mas a preferência são os versos hepta e octossílabos. O trecho a seguir é do poema Marinha de Olavo Bilac:
Sobre as ondas oscila o bateldocemente...
Sopra o vento a gemer. Treme enfunada a vela.
Na água mansa do mar passam tremulamente
Áureos traços de luz, brilhando esparsos nela.
Lá desponta o luar. Tu, palpitante e bela,
Canta! Chega-te a mim! Dá-me essa boca ardente!
Sobre as ondas oscila o batei docemente...
Sopra o vento a gemer. Treme enfunada a vela.
Vagas azuis, parai! Curvo céu transparente,Nuvens de prata, ouvi! - Ouça na altura a estrela,
Ouça de baixo o oceano, ouça o luar albente:
Ela canta! - e, embalado ao som do canto dela,
Sobre as ondas oscila o batel docemente.

Rondó
Originário da França, era uma canção que acompanhava uma dança, entrou em desuso nos fins do século XIX.
Rondó Francês é composto por 15 versos, divididos em 3 estrofes, uma quintilha, 1 tercetoe outra quintilha. Não obedece a esquema fixo de metro e rima e dá preferência aos versos decassílabos. O seu primeiro verso é repetido como estrebilho no final do terceto e da segunda quintilha.
Lá, longe, entre árvores eu vejo,
Tão vario como o teu desejo...
Saindo branco de um casal,
O fumo, em lânguida espiral,
Macio como um leve adjo.
Dize, será em vão que almejo,
Ouvindoa música do beijo
Viver contigo um sonho real]
                 Lá, longe?
Se ardes por mim, se eu te desejo
(Vê tu que esplêndido!)
Foge do mundo ao torvo mal,
Rosa vem para o meu rosal,
Que da invernia eu te protejo,
                  Lá, longe...            
(Goulart de Andrade, Seleta de Poesia.)

Rondó Dobrado é o poema menos usado, este tem 6 estrofes em...
tracking img