Terminologias hospitalares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 42 (10497 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Ministro da Saúde Waldyr Mendes Arcoverde Secretário Nacional de Ações Básicas de Saúde João Baptista Risi Junior Diretor da Divisão Nacional de Organização de Serviços de Saúde Antonio Carlos de Azevedo

Ministério da Saúde Secretaria Nacional de Ações Básicas de Saúde Divisão Nacional de Organização de Serviços de Saúde

Terminologia Básica em Saúde

Brasília Centro de Documentação doMinistério da Saúde 1983

© 1983. Ministério da Saúde Série B: Textos básicos de saúde, 4

Centro de Documentação do Ministério da Saúde Esplanada dos Ministérios – Bloco G – Térreo 70058 Brasília, DF Telefone: (061) 226-8286 Telex: (061) 1752 e (061) 1251

Ministério da Saúde. Secretaria Nacional de Ações Básicas de Saúde. Divisão Nacional de Organização de Serviços de Saúde. Terminologiabásica em saúde / Ministério da Saúde, Secretaria Nacional de Ações Básicas de Saúde, Divisão Nacional de Organização de Serviços de Saúde – Brasília: Centro de Documentação do Ministério da Saúde, 1983. 49 p. – (Série B: Textos básicos de saúde; n. 4).

SUMÁRIO Apresentação, p. 5 1. Terminologia geral, p. 7 2. Terminologia física, p. 13 3. Terminologia médico-hospitalar p. 19 4. Estatística desaúde – medidas e indicadores, p. 25 5. Epidemiologia geral, p. 35 6. Indice, p. 45

APRESENTAÇÃO Em 1974, a antiga Coordenação de Assistência Médica e Hospitalar, da então Secretaria de Assistência Médica do Ministério da Saúde, incluiu na publicação Normas de Administração e Controle do Hospital alguns capítulos sobre terminologia hospitalar. Em 1975, um grupo de trabalho interinstitucionalfoi constituído, através da Portaria nº 517, de 28.11.75, o qual devia, entre outras atribuições, realizar estudos sobre conceitos e definições que possibilitassem a uniformização terminológica nos campos dos serviços sanitários e, especialmente, da assistência médico-hospitalar. O resultado deste trabalho foi a Portaria nº 30, de 11.2.77, que aprovou os mencionados conceitos e definições. Estesforam publicados, também, pela Coordenação de Assistência Médica e Hospitalar, atual Divisão Nacional de Organização de Serviços de Saúde (DNOSS), já na ocasião órgão da Secretaria Nacional de Ações Básicas de Saúde (SNABS). A publicação tomou o título de Conceitos e Definições em Saúde. Foi a única publicação isolada da Portaria nº 30, pois, ainda no final de 1977, a DNOSS publicou as Normas ePadrões de Construções e Instalações de Serviços de Saúde, incluindo na mesma um capítulo com os conceitos e definições da Portaria nº 30. Este documento foi reimpresso em 1979 e 1980. Em 1979, a Portaria nº 30 recebeu a inclusão de nova terminologia, referente a posto de assistência médica, pela Portaria nº 61, de 15.2.79. Em 1981, a Comissão Interministerial de Planejamento e Coordenação (CIPLAN)emitiu a Resolução nº 3, que estabelece as normas para adequação e expansão da rede de atenção à saúde nas unidades federadas, instrumento que aprimorou o balisamento normativo existente, introduzindo alguns termos novos.

Devido à própria dinâmica do sistema, o Ministério da Saúde sentiu necessidade da atualização e ampliação da terminologia utilizada. Para tanto, teve a honra de contar com acolaboração de diversos de seus órgãos, quais sejam, a Divisão Nacional de Epidemiologia e a Divisão de Planejamento, ambas da SNABS, bem como de seu Secretário, Divisão de outras Endemias da Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (SUCAM), Coordenadoria Regional de Saúde do Sul (CORSUL), Secretaria de Modernização Administrativa e Departamento do Pessoal. Também contou com a colaboração dasseguintes instituições: Associação Paulista de Hospitais, Programa de Estudos Avançados em Administração Hospitalar e de Sistema de Saúde (PROAHSA) Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, através da Coordenadora do Curso de Administração Hospitalar e do Centro Brasileiro de Classificação de Doenças. Pela inestimável...
tracking img