Teorias

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3292 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ETEC DONA ESCOLÁSTICA ROSA
TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

ANA CAROLINA AMARAL
BÁRBARA KELLY CARDOSO
JANE CAROLINE CARDOSO SILVA
NATALLI DOMINGUES FRADE
ROSÂNGELA SANTOS DA SILVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

SANTOS – SP
OUTUBRO/2012

ANA CAROLINA AMARAL -03
BÁRBARA KELLY CARDOSO -04
JANE CAROLINE CARDOSO SILVA -17
NATALLI DOMINGUES FRADE -27
ROSÂNGELA SANTOS DA SILVA -32

CAIXAECONÔMICA FEDERAL




Trabalho apresentado junto ao curso Técnico de Administração, da Disciplina Sistemas Econômicos, com orientação da Profª Fátima Rocha.








SANTOS
OUTUBRO / 2012


















Agradecemos a professora e orientadora
Fátima Rocha, pelo apoio e encorajamento
contínuos na pesquisa, aos demais mestres
dacasa, pelos conhecimentos transmitidos,
e em ao professor Thiago Abreu, do curso
técnico em Administração, na
ETEC Dona Escolástica Rosa.







SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO 4
2 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL 5
2.1 Sua História 5
2.2 Estímulo a Poupança 6
2.3 A Inauguração da Sede 6
3 COMO FUNCIONA? 7
4 FUNÇÕES DA CAIXA 8
5 SERVIÇOS 9
5.1 Previdência Social 9
5.2Loterias 10
5.3 Bolsa Família 10
5.4 PIS 11
5.5 INSS 12
5.6 Poupança 13
5.7 Minha Casa Minha Vida 13
5.8 FGTS - O Patrimônio do Trabalhador Melhora a Vida de Todos 14
6 CONCLUSÃO 16
7 BIBLIOGRAFIA 17
8 APÊNDICE 18


1 INTRODUÇÃO

A idéia da criação de caixas econômicas no Brasil data de 1830, quando surgiram essas organizações nos Estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas, MinasGerais e Rio de Janeiro. Destas, apenas a de Ouro Preto, no Estado de Minas Gerais, conseguiu sobreviver por mais tempo. Vários fatores negativos concorreram para o aludido desaparecimento. Sua estrutura primitiva, a crise financeira de época e a tendência à criação de institutos que satisfizessem aos reclamos de grande parte da coletividade e não apenas a uma parte mínima, foram os argumentos maisproclamados para a concorrência do fato. Mesmo assim, esse primeiro fracasso não frustrou as autoridades daquele século, no que tange ao setor. Em 22 de agosto de 1860 a Lei dos Entraves deu início à criação da Caixa.

2 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

2.1 Sua História

Há 151 anos, no dia 12 de janeiro de 1861, Dom Pedro II assinou o Decreto nº 2.723, que fundou a Caixa Econômica da Corte. Desdeentão, a CAIXA caminha lado a lado com a trajetória do país, acompanhando seu crescimento e o de sua população. Nas principais transformações da história do país, como mudanças de regimes políticos, processos de urbanização e industrialização, a CAIXA estava lá, apoiando e ajudando o Brasil.
Com sua experiência acumulada, inaugurou, em 1931, operações de empréstimo por consignação para pessoasfísicas; três anos depois, por determinação do governo federal, assumiu a exclusividade dos empréstimos sob penhor, o que extinguiu as casas de prego operadas por particulares.
No dia 1º de junho do mesmo ano, foi assinada a primeira hipoteca para a aquisição de imóveis da CAIXA do Rio de Janeiro.
Em 1986, a CAIXA incorporou o Banco Nacional de Habitação (BNH) e assumiu definitivamente a condiçãode maior agente nacional de financiamento da casa própria e de importante financiadora do desenvolvimento urbano, especialmente do saneamento básico. No mesmo ano, com a extinção do BNH, tornou-se o principal agente do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), administradora do FGTS e de outros fundos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).
Quatro anos depois, em 1990, iniciou açõespara centralizar todas as contas vinculadas do FGTS, que, à época, eram administradas por mais de 70 instituições bancárias.

2.2 Estímulo a Poupança

Nos primeiros dias de funcionamento, já se percebia que a instituição tinha sido criada para favorecer a população mais pobre. O decreto 5.594 de 18 de abril de 1874, determinava que os juros não seriam superiores a 6% ao ano.
As somas...
tracking img