Teorias

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 183 (45502 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ACCESSU EDUCAÇÃO SUPERIOR
FACULDADE ATENEU
COORD. GERAL: PROF. JOSÉ WILLIAM FORTE
COORD. PEDAGÓGICAS: PROFª. LUCIDALVA BACELAR
PROFª. SOLANGE MESQUITA







CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO






DISCIPLINA:



TEORIAS DA APRENDIZAGEM











DOCENTES:



LINDALVA COSTA DA CRUZ

MARIA DE FÁTIMA ALVES PAIVA
MARIAVALDA ALBUQUERQUE
REGINA CÉLIA RIBEIRO LOFT










Fortaleza-Ceará
2008

SUMÁRIO





1 Processo de Aprendizagem: pressupostos filosóficos e implicações educacionais 03
2 A abordagem inatista-maturacionista 08
3 Grandes Educadores 17
3.1 Jean Piaget e a Epistemologia Genética 17
3.2 Lev Vygotsky e os Planos Genéticos de Desenvolvimento 30
3.3 HenriWallon e a Psicogênese da Pessoa 40
3.4 Burrhus Frederic Skinner e o Condicionamento Operante 49
3.5 Carl Rogers e a “Pedagogia Experencial” 59
3.6 Howard Gardner e as Inteligências Múltiplas 65
3.7 Edgar Morin e a cultura transdisciplinar 73
4 Psicanálise: sua contribuição à Educação 84
4.1 Doutrina Freudiana 84
4.2 Psicanálise e Educação 90
4.3 Questões de Estudo 90Bibliografia 94






















1 PROCESSO DE APRENDIZAGEM PRESSUPOSTOS FILOSÓFICOS E IMPLICAÇÕES EDUCACIONAIS - UMA BREVE ANÁLISE DAS TEORIAS DA APRENDIZAGEM - INATISMO, AMBIENTALISMO E SÓCIO-INTERACIONISMO.



Essas abordagens teóricas revelam diferentes concepções e modos de explicar as dimensões biológicas e culturais do homem e a forma pela qual osujeito aprende e se desenvolve, e mais particularmente, as possibilidades de ação educativa. Cada uma delas é marcada pelas características do momento e do contexto sócio-histórico em que foi formulada e pelos diversos paradigmas e pressupostos filosóficos, metodológicos e epistemológicos que as inspiram.




1. ABORDAGEM INATISTA (TAMBÉM CONHECIDA COMO APRIORISTA OU NATIVISTA)


✓FUNDAMENTOS TEÓRICOS E FILOSÓFICOS: Inspirada nas premissas da filosofia racionalista e idealista se baseia na crença de que as capacidades básicas de cada ser humano, personalidade, potencial, valores, comportamentos, formas de pensar e de conhecer são inatas, ou seja, já se encontram praticamente prontas no momento do nascimento. Enfatiza assim os fatores maturacionais e hereditários comodefinidores da constituição do ser humano e do processo de conhecimento.


✓ DESCONSIDERA: As interações sócio-culturais na formação das estruturas comportamentais e cognitivas da criança. Nessa visão o desenvolvimento é pré-requisito para o aprendizado.


✓ ASPECTO PEDAGÓGICO: A educação pouco ou quase nada altera as determinações inatas. Os processos d ensino só podem se realizar namedida em que a criança estiver "pronta", madura para efetivar determinada aprendizagem. Esse paradigma promove uma expectativa significativamente limitada do papel da educação para o desenvolvimento individual, na medida em que considera o desempenho do aluno fruto de suas capacidades inatas.


✓ PRÁTICA PEDAGÓGICA: Na prática escolar, podemos identificar as conseqüências da abordageminatista.
• Não desafia, não instrumentaliza o desenvolvimento de cada indivíduo, pois se restringe àquilo que ele já conquistou;
• Prática pedagógica espontaneísta, pouco desafiadora, na maior parte das vezes, subestima a capacidade intelectual do indivíduo, na medida em que seu sucesso ou fracasso depende quase exclusivamente de seu talento, aptidão, dom ou maturidade;• Desconfia do valor da educação e do papel interveniente e mediador do professor;
• Atuação se restringe ao respeito às diferenças individuais, aos desejos, aos interesses e capacidades manifestadas pelo indivíduo, ao reforço das "características inatas" ou ainda à espera de que processos maturacionais ocorram.


✓ CONSEQUENTEMENTE:

• O desempenho das crianças...
tracking img