Teorias economicas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4925 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA
INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - ICSA
FACULDADE DE SERVIÇO SOCIAL
TEORIAS ECONÔMICAS E SERVIÇO SOCIAL
PROF.ª HELENA LIMA
ALUNA: CLARISSE MENDES ROCHA
TURMA :B
TURNO : VESPERTINO

Modos de Produção
A sociedade Primitiva
O modo de produção primitivo designa uma formação econômica e social que abrange um período muito longo, desde oaparecimento da sociedade humana. A comunidade primitiva existiu durante centenas de milhares de anos, enquanto o período compreendido pelo escravismo, pelo feudalismo e pelo capitalismo mal ultrapassa cinco milênios. Na comunidade primitiva, os homens trabalhavam em conjunto. Os meios de produção e os frutos do trabalho eram propriedade coletiva, ou seja, de todos. Não existia ainda a ideia dapropriedade privada dos meios de produção, nem havia a oposição entre proprietários e não proprietários. As relações de produção eram relações de cooperação e ajuda entre todos; elas eram baseadas na propriedade coletiva dos meios de produção, com a terra ocupando papel preponderante. Também não existia o Estado. Este só passou a existir quando alguns homens começaram a dominar outros. O Estado surgiucomo instrumento de organização social e de dominação. Portanto, como característica fundamental, temos a não existência da propriedade privada nesta formação social, e, consequentemente, como tampouco havia classes, não havia exploração de uma classe por outra – todo mundo trabalhava por si e por todos.
Escravismo
O primeiro modo de produção onde havia o pleno desenvolvimento dapropriedade privada e a exploração de uma classe por outra foi o escravismo, cujos exemplos típicos seriam a Grécia e Roma antigas. As duas classes principais eram, de um lado, os donos de escravos, proprietários da terra e, de outro, os escravos que trabalhavam na produção de bens, como máquinas humanas.
Na sociedade escravista, os meios de produção (terras e instrumentos de produção) e os escravos erampropriedade do senhor. O escravo era considerado um instrumento, um objeto, assim como um animal ou uma ferramenta. Identificamos na Grécia e em Roma antigas as sociedades cujas características principais, no que tange à organização econômica, social e política, fornecem os elementos básicos para o escravismo antigo. Assim, no modo de produção escravista, as relações de produção eramrelações de domínio e de sujeição, opondo senhores a escravos. Um pequeno número de senhores explorava a massa de escravos, que não possuía direito algum. Os senhores eram proprietários da força de trabalho (os escravos), dos meios de produção (terras, gado, minas, instrumentos de produção) e do produto do trabalho.
Feudalismo
A sociedade feudal, predominante na Europa Ocidentalmedieval, tinha como contradição fundamental a relação entre senhores e servos. Os servos não eram escravos de seus senhores, pois não eram propriedade deles. Eles serviam a seus senhores em troca da ocupação de pequena parcela da grande propriedade senhorial, ou seja, em troca de poderem usufruir de casa e comida. Os camponeses trabalhavam para garantir a sua sobrevivência e a de sua família, por meioda agricultura de subsistência, e estavam sujeitos a uma série de obrigações para com o senhor das terras, dentre as quais a mais importante era o trabalho forçado em determinados dias da semana diretamente nas terras administradas pelo senhor feudal. A submissão ao senhor também podia se traduzir na obrigação de entregar o excedente da produção agrícola ou, no momento de decadência dosistema, do pagamento de taxas e impostos por dinheiro obtido no comércio dos bens produzidos pelos camponeses. A exploração senhorial do braço camponês se dava através da coerção extra econômica, ou seja, por meios não puramente econômicos, através da força das armas e de imposições ideológicas e de ordem cultural-religiosa. Isto porque o camponês, proprietário...
tracking img