Teorias do valor - economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2653 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO




Nosso trabalho objetiva salientar a evolução das Teorias do Valor apresentados pelos estudiosos da escola Clássica e Neoclássica da economia.
Estudaremos, portanto as teorias de Adam Smith, David Ricardo, Karl Marx, dentre outras e ainda a Teoria Subjetiva do Valor, com a perspectiva da elucidação dos principais pontos destes tópicos.
Trata-se, portanto de umestudo bibliográfico onde procuraremos atingir resultados ofertados pelo docente.





1. Teoria Objetiva do Valor




A Teoria objetiva do valor ou teoria valor trabalho é uma teoria econômica associado à primeira escola moderna de pensamento econômico. Os principais economistas a tratar da Teoria objetiva são Adam Smith,  David Ricardo e Karl Marx.

A idéia central de toda teoria consiste emaceitar que o valor de um produto (bem econômico) é determinado pela quantidade de trabalho necessário para produzi-lo. De inicio abordaremos as teorias propostas por Adam Smith e em seguida os trabalhos de David Ricardo que vieram com a finalidade de complementação de Smith, em seguida abordaremos os estudos de Karl Marx, considerado um dos maiores teóricos do valor – trabalho.






1.1 AdamSmith (1723-1790)




Professor e filósofo escocês, nascido nas proximidades de Kirkcaldy, onde foi batizado, conhecido como fundador da economia liberal clássica. Estudou em Glasgow, filosofia na Universidade de Edimburgo e no Balliol College de Oxford (...) Sua obra principal, An Inquiry into the Nature and Causes of the Wealth of Nations (1776), obra que teve importânciafundamental para o nascimento da economia política liberal e para o progresso de toda a teoria econômica. Pregava a não-intervenção do Estado na economia e um Estado limitado às funções de guardião da segurança pública, mantenedor da ordem e garantia da propriedade privada. Defendia a liberdade contratual, pela quais patrões e empregados seriam livres para negociar os contratos de trabalho (...) Éconsiderado o mais importante teórico do liberalismo econômico no século XVIII.(Em: acessado em 19/03/2012 às 13:08)






Adam Smith determinava que o valor de um bem econômico seria fixado de acordo com o custo de sua produção. Comporiam este custo total três fatores: a remuneração da terra, do trabalho e do capital (GASTALDI, 2003, p.85).Esta somatória resultaria no preço justo do bem, daí a razão de nomearem a Teoria de Smith como teoria da soma.

No inicio, quando as terras eram comunitárias e os meios de produção não requeriam grande tecnologia e não era exigido grandes capitais para serem investidos nos meios de produção, Smith afirmava que apenas o trabalho era fator na determinação do valor de um bem produzível comoobservamos na seguinte passagem:



[...] os bens contêm certa quantidade de trabalho que permutamos por aquilo que, na ocasião, supomos conter o valor de uma quantidade igual. O trabalho foi o primeiro preço, o dinheiro de compra original que foi pago por todas as coisas. Não foi por ouro nem por prata, mas pelo trabalho que foi originalmente comprada toda a riqueza do mundo; e o valordessa riqueza, para aqueles que a possuem e desejam trocá-la por novos produtos, é exatamente igual à quantidade trabalho que essa riqueza lhes dá condições de comprar ou comandar. (Smith apud Mattei, 2003, p. 276).




Porém com a evolução da sociedade, e as terras se transformando em propriedade privada, as necessidades de investimentos de grandes capitais para a produção de bens, surgiramoutros fatores que determinariam o valor do produto. (GASTALDI, 2003, p.85).

Assim Smith concluiu que: “o valor do produto seria a soma de três componentes: o salário, os lucros e os aluguéis”. (http://pt.shvoong.com/books /375137-teoria-valor-adam-smith / acessado em 20/03/2012 às 13:34).

Segundo Mattei (2003) então a idéia de trabalho tange ao poder e à riqueza nas sociedades...
tracking img