Teorias da personalidade (james fadiman, robert frager)

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4904 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Leitura do livro Teorias da Personalidade (James Fadiman, Robert Frager)
Capítulo 6 da página 149 a 187.
A - Fazer resumo ou quadro sinóptico desta parte do capítulo por escrito.

William James(1842-1910),nasceu na Nova Inglaterra, em 11-01-1842, o primeiro psicólogo nascido nos Estados Unidos. Em sua juventude, tinha estudado pintura,ciencias,química, fisiologia, anatomia,biologia e medicina, aceitou posteriormente ensino fisiologia em Harvard.
O autor sofria do grande mal do século XIX, uma "doença nervosa" que o impedia de produzir. Apesar de haver retornado completamente restabelecido de uma expedição com o naturalista, Louis Agassiz, no Brasil, na Bacia Amazonica ,aonde os riscos e desconfortos da viagem o convenceram de que ele iria ser feliz escrevendosobre ciencias, dois anos mais tarde tem nova recaída, e indo tentar a cura através de banhos minerais na Boêmia. O tratamento não foi muito proveitoso, todavia entrou em contato com os trabalhos em psicologia experimental de Wundt em Heidelberg, exprimindo pela primeira vez o desejo de ser psicólogo. Retornando aos USA, continuava sofrendo do mesmo mal, só que alguns sintomas agravados, o que sesomava às suas poucas perspectivas profissionais, sendo ele uma pessoa que, para desespero de sua família, nunca conseguira fixar-se numa unica coisa , mesmo após haver se formado em medicina. O destino parece ter-se encarregado de lhe dar uma oportunidade e James agarrou-a definitivamente. Tendo se tornado Presidente de Harvard em 1869, Charles Eliot, seu antigo professor de química o convidou em1872 para ser instrutor de fisiologia e anatomia. Três anos mais tarde já ensinava psicologia e em 1880 se tornou professor de filosofia. Sua inclinação pela psicologia se deu, portanto, através das trocas de experimentos e estudo das funções cerebrais. Dentro outras coisas também se interessa por outro ramo da psicologia experimental que estuda os fenômenos de mediunidade e hipnotismo, tendo sidofundador em 1884 daAmerican Society of Psychical Research (Sudre 1924) (sobre estes trabalhos ver James 1924 e 1961).

William James escreveu sobre todos os aspectos da psicologia humana, do funcionamento cerebral até o êxtase religioso, da percepção espacial até a mediunidade psíquica. Ele freqüentemente argumentava de ambos os lados de uma questão com igual talento.
Ele seconcentrou na compreensão e explicação das unidades básicas do pensamento. Conceitos fundamentais, tais como as características do pensamento, atenção, hábito e sentimento de racionalidade, prenderam seu interesse.
Ele se intrigava mais com a atenção em si mesma do que com os objetos aos quais se presta atenção e fascinava-se mais pelo hábito do que por constelações de hábitosespecíficos.
A personalidade, para James, emerge da interação entre as facetas instintuais e habituais da consciência e os aspectos e vontades pessoais . As patologias, as diferenças pessoais, os estágios de desenvolvimento, a tendência à auto-realização e todo o resto são redistribuições dos blocos de construção fornecidos pela natureza e refinados pela evolução. Uma leitura cuidadosa de Jamesrevela contradições em suas considerações teóricas. Ele estava consciente disso, chamando-o de "pensamento pluralístico", raciocinando que é válido para alguns casos mas não para outros. James considerava que a Psicologia não era ainda uma ciência madura; não possuía suficiente conhecimento para formular leis consistentes sobre a percepção, a sensação ou a natureza da consciência.Caracteristcas do Pensamento
Consciência Pessoal
Todo pensamento tende a ser parte de uma consciência pessoal, portanto, diz James, não existe tal coisa como uma "consciência" individual independente da pessoa a quem pertence essa consciência. Há apenas o processo de pensamento, assim como é experienciado ou percebido por um indivíduo. A consciência implica um tipo de relação externa; não é um...
tracking img